Category

Artigos

O Melhor Apartamento Até 150.000€ da Grande Porto

By | Artigos | No Comments

Porto é a segunda maior área metropolitana do país com 1,7 milhão de habitantes. É o centro do norte do país, sendo residência de um importante parque fabril, indústria automobilística, turismo com mais de 11 milhões de chegadas, além de ter uma das mais fortes indústrias vinícolas do país.

Morar na cidade do Porto já ficou caro, não tanto como Lisboa, mas começou a doer no bolso. Dificilmente acha-se um apartamento de 2 quartos novo e bem localizado por menos de 240.000€, chegando facilmente aos 320.000€.

Porém não é preciso esvaziar todo o seu bolso para desfrutar dessa linda cidade. Usando uma estratégia inteligente economizamos mais de uma centena de milhar de euros, em outras palavras, mais de 100.000€, e ainda assim temos tudo que o Porto pode oferecer em questão de minutos.

É só usar a moderna estrutura de Portugal: use o moderno sistema de estradas e transporte ao seu favor e pague muito menos. Eu mesmo usei essa tática! Eu moro perto da estação de trem – moderno, limpo e rápido – que chega em 15 minutos ao centro da cidade.

Estou feliz da vida! Poupei 150.000€, que eu gastaria A MAIS se quisesse morar no centro da cidade. Posso estar em 15 minutos na Boa Vista de carro.

Eu não me importo de gastar um tempinho todo dia para economizar mais de 100.000€. E acho que você também não vai. Por isso, não tenho dúvida em recomendar a mesma estratégia: aproveite a vida do Porto, sem pagar mais por isso!

A Oportunidade

Apresento o City Concept Porto, projeto da grande construtora espanhola Aransa – uma multinacional com 35 anos de atuação em Portugal, Espanha, Brasil e México. A proposta é de um espaçoso apartamento de 2 dormitórios por 141.750€ em Ermesinde.

Fica a 10 minutos do maior hospital da cidade – Hospital S. João e do local das universidades – Polo Universitário e a 15 minutos da cidade do Porto e Aeroporto.

Ermesinde tem uma localização privilegiada, e beneficia por estar perto dos principais auto-estradas A3 (Braga – Valença), A4 (Bragança – Espanha), A41 (Espinho – Matosinhos) e A28 – A29 (Aveiro – Viana do Castelo), sem falar da rede de transportes com ônibus e trem que levam ao centro da cidade em 20 minutos.

Nos últimos dez anos, Ermesinde teve um crescimento das construções novas e modernas infra estruturas que contribuem para a excelente qualidade de vida, incluindo tudo o que você precisa em termos de comércio, tal como dois grandes shopping centers, restaurantes, farmácias, escolas e lazer:

Educação

  • Escola pública EB 2/3 Ermesinde;
  • Externato Maria Droste;
  • Colégio de Ermesinde;
  • Externato de Santa Joana.

Comércio

  • Maia Shopping;
  • Parque Nascente Shopping;
  • Hipermercados Continente, Lidl, Intermarché;
  • McDonald’s;
  • Farmácias.

Lazer

  • Ermesinde Sport Club;
  • Academia Futebol Dragon Force;
  • Piscinas Ermesinde;
  • Parque Vila Beatriz.

Os espaços foram pensados de forma inteligente, design contemporâneo e acabamento de luxo, com utilização de materiais nobres, tornando City Concept uma proposta muito atrativa para moradia ou investimento.

Os imóveis em Portugal são entregues completos, incluindo todos os pisos da sala e quartos, uma cozinha completa com armários e eletrodomésticos, fogão e geladeira, além de armários para os quartos.

Os apartamentos terão elevada certificação energética, uma das grandes vantagens de comprar um imóvel novo, estando preparados tanto para isolar o frio intenso, como deixar o calor para fora de casa. Tem vidros duplos e revestimento exterior ETICs que garantem o isolamento térmico.

Além disso, o projeto prevê alvenaria dupla com gesso projetado para garantir a tranquilidade do isolamento acústico de alta performance, além de aquecimento central e painéis solares para economia na conta de energia.

A obra iniciou em janeiro de 2019 e terá uma duração de 18 a 20 meses (primeira fase) pelo que se prevê a conclusão em agosto de 2020.

Quer saber mais sobre esta oportunidade? Entre em contato conosco e agende uma reunião, sem compromisso!

Marcio Fenelon

Administrador de Empresas pela FGV, com pós-graduações em finanças pela USP e Insper. Foi executivo de empresas de grande porte, destacando a experiência de mais de uma década na seleção e análise de negócios imobiliários em grandes empresas brasileiras. Nos últimos 2 anos atua como incorporador, consultor e investidor imobiliário no mercado português.

Atlantic Bridge

É uma empresa portuguesa, com DNA brasileiro, criada para assessorar cidadãos estrangeiros a investir em imóveis, abrir negócios ou até viver a aposentadoria em Portugal. Somos uma consultoria focada em soluções completas e personalizadas. Cada sonho e história é diferente e exige uma abordagem individual. Com uma equipe multidisciplinar de especialistas, a Atlantic Bridge ajuda no planejamento de seu futuro em Portugal, protegendo seus ativos e ampliando suas oportunidades. Conheça nossas soluções e aproveite o melhor de Portugal.

Disclaimer
O relatório reflete única e exclusivamente a opinião pessoal do especialista. O estudo é baseado em informações disponíveis ao público, consideradas confiáveis na data de sua publicação. O conteúdo contém estimativas baseadas em expectativas que estão sujeitas a mudanças e que podem não se confirmar. Os destinatários devem fazer suas próprias análises e tomar a decisão de investimento única e exclusivamente com seu próprio julgamento. Embora o relatório seja gratuito, a Atlantic Bridge estabeleceu parceria para receber remuneração caso haja concretização de negócio.

Ler Mais

Global Moving: os médicos também não têm fronteiras

By | Artigos | No Comments

Em tempos de movimento mundial de profissionais qualificados, quem nunca conheceu um médico colega de faculdade, amigo, primo ou amigo do amigo que resolveu se aventurar e sair do Brasil? Saiba mais sobre o Global Moving abaixo.

Global Moving: o caminho para a emigração médica

Seja para os Estados Unidos, Inglaterra ou Portugal, existe sim um mundo de possibilidades para o exercício da nossa profissão. Uns caminhos são mais fáceis e outros mais tortuosos, mas quase sempre existe um caminho a seguir na emigração médica.

Por tratar-se de uma profissão extremamente regulamentada, a medicina sempre exige um grau de esforço e tempo considerável a serem gastos para que possa ser exercida em um país diferente do país de formação. Por exemplo, o próprio Brasil obriga que médicos formados no estrangeiro tenham que passar pelo tão temido REVALIDA ou semelhantes processos de revalidação em universidades brasileiras, credenciadas pelo MEC, para a realização do processo.

Entretanto, com coragem e algum investimento este projeto é sim viável!

Ficou interessado no assunto? Acompanhe este artigo sobre o Global Moving: o percurso a ser seguido pelos colegas médicos que desejam atuar em Portugal, Espanha, Alemanha e no Reino Unido.

Global Moving: exercício da Medicina em Portugal

Para exercer a medicina em Portugal é necessário participar de um processo de equivalência do(a) Bacharelado/Licenciatura/Graduação médica brasileira.

Esta equivalência é realizada através de um processo que tem, atualmente, uma regulação nacional e do qual participam as várias escolas médicas portuguesas. Assim, você deve eleger uma das escolas após a publicação de um edital específico para o efeito, sendo o processo composto por 4 etapas:

1. Etapa documental, com a entrega dos documentos necessários para a candidatura;
2. Prova teórica, que atualmente é um exame único e é realizada na mesma data em todas as Escolas Médicas Portuguesas;
3. Prova Prática, a ser realizada caso o candidato tenha aprovação na etapa anterior, com um atendimento de um caso clínico real;
4. Prova Pública, que se caracteriza pela apresentação de um trabalho científico ou relatório curricular perante um júri de professores.

Este processo dura, em média, 12 meses. Após aprovação em todas as etapas o médico está apto para se inscrever na Ordem do Médicos.

  • Vantagens do processo em Portugal: mesmo idioma, o que faz com que o candidato seja dispensado da prova de nível linguístico;
  • Desvantagens do processo em Portugal: processo longo e que exige a deslocação a Portugal pelo menos 3 vezes para a realização das referidas provas, que se realizam em datas distintas e distantes.

Quer saber mais sobre como ser médico em Portugal? Leia também esse artigo.

Global Moving: exercício da Medicina na Espanha

A dificuldade de muitos médicos brasileiros em pedir a equivalência na Espanha ou qualquer outro país de língua estrangeira é a comprovação do nível linguístico exigido.

Homologación de Títulos Extranjeros de Ensino Superior, no qual se enquadra o diploma médico, é de responsabilidade do Ministério da Educação Espanhol.

O processo é basicamente documental, sendo necessário entregar uma série de documentos, tais como: passaporte, diploma, histórico escolar, declaração do CRM de como está inscrito e não tem qualquer processo disciplinar, antecedentes criminais, conteúdo programático das disciplinas todos com firmas reconhecidas e apostilados. Além de ser necessário a tradução juramentada de todos os documentos, exceto passaporte.

Atenção: se é formado na UFRJ ou na Universidade Federal de Pelotas, nem sequer precisa entregar os conteúdos programáticos.

O processo dura em média de 7 a 14 meses e é cobrada uma taxa administrativa de aproximadamente 163€.

  • Vantagens do processo na Espanha: o processo é basicamente documental e pode ser feito por intermédio de empresas especializadas ou mesmo ser enviado pela sede do consulado da Espanha mais próximo de você;
  • Desvantagens do processo na Espanha: comprovação linguística, através de exame oficial (exemplo: DELE) nível B2 e necessidade de tradução juramentada de toda a documentação exigida, o que pode sair caro.

medico sem fronteiras global moving

Global Moving: exercício da Medicina na Alemanha

Assim como a Espanha, a Alemanha exige um grau mínimo de proficiência B2 em alemão geral, que deve ser comprovado através de um exame reconhecido internacionalmente, como por exemplo o Goethe- Zertifikat B2 ou TELC.

Para praticar a medicina na Alemanha é necessário uma Licença Médica (Approbation) ou uma Autorização Temporária (Berufserlaubnis) que é de responsabilidade do órgão que regula o exercício da medicina (Landesprüfungsamt) nos estados alemães.

Trata-se de um processo extremamente burocrático, demorado e exigente.

Documentos necessários

Primeiramente será pedido uma lista de documentos que podem ir desde a os documentos mais óbvios, como CV, diploma e histórico escolar até a certidão de nascimento/casamento. Estes documentos vão variar de acordo com o estado alemão que escolha dar início ao processo.

Exames

Fachsprachenprüfung é o exame de língua especializado para medicina. Nele será avaliado a sua fluência e conforto com os termos médicos, se sabe escrever uma anamnese em alemão, qual o seu grau de comunicação com um paciente. Basicamente vão avaliar se você tem o nível avançado de comunicação necessário para exercer a medicina. Este exame exige um nível C1 da língua.

Quanto ao processo do reconhecimento da parte de conhecimento médico em si, basicamente pode optar por comparação curricular ou simplesmente realizar uma prova de conhecimento/equivalência médico(a) (Kenntnisprüfung ou Gleichwertigkeitsprüfung).

Comparação de currículo

No caso de comparação curricular o processo é mais longo e monetariamente mais dispendioso visto que terá que entregar todo o conteúdo programático das disciplinas que cursou na faculdade original e sua respectiva tradução juramentada.

Lembrando que sempre há o risco de o júri não considerar seu currículo acadêmico equiparável ao alemão e pedir para que faça a prova de conhecimento médico na mesma!

Assim, trata-se de um processo bastante heterogêneo e varia imensamente entre os estados, no que diz respeito a documentação necessária, tempo de processo e preços cobrados para as provas realizadas.

  • Vantagens do processo na Alemanha: a Alemanha é um país com muita necessidade de médicos e, portanto, há empregabilidade alta e tem bons salários quando comparados a outros países como Portugal ou Espanha.
  • Desvantagens do processo na Alemanha: O idioma é uma grande barreira, além do próprio processo ser exigente, demorado e caro.

Global Moving: exercício da Medicina na Inglaterra

A Inglaterra é um dos países europeus onde o processo está muito bem estabelecido e organizado. É totalmente regulado pela GMC desde o pedido da licença para o exercício da medicina até sua inscrição final.

Trata-se de um processo que é inicialmente documental com toda comprovação de diploma, históricos escolar, exercício profissional, etc. Sendo necessário para iniciar o processo um teste de língua inglesa IELTS, com nota mínima de 7.5 e mínimo de 7 nas bandas do teste ou OET Medicine com mínimo de B nas diversas partes do teste.

Após toda a avaliação da documentação, caso não seja europeu, serão exigidas aprovações em 2 exames: PLAB 1 (teórico) e PLAB 2 (prático). Só então será possível fazer o registro final com licença para praticar a medicina.

O processo tem um tempo muito variável, dependendo essencialmente da realização e aprovação nos exames exigidos. Sendo a parte da avaliação documental no GMC concluída em 3 meses em média.

Apesar de para alguns a questão linguística ser uma barreira, vejo o inglês como uma das línguas menos exigentes visto que muitos de nós têm pelo menos algum nível na língua e fica muito mais fácil aperfeiçoar e atingir o nível exigido quando comparado ao alemão, por exemplo.

  • Vantagens do processo na Inglaterra: língua e empregabilidade;
  • Desvantagens do processo na Inglaterra: Exige fazer exames, traduções juramentadas e muitas provas documentais do exercício da medicina prévio.

Diretiva Europeia de Reconhecimento Profissional

Por fim, vale destacar a existência de uma Diretiva Europeia (Directiva 2005/36/CE do Parlamento Europeu e do Conselho de 7 de Setembro de 2005) que estabelece as regras para o reconhecimento das qualificações profissionais de um cidadão em outro Estado Membro da União Europeia, no caso das profissões regulamentadas.

Como sabem, a União Europeia tem por princípio básico a livre circulação de mercadorias e profissionais. Neste sentido, a referida directiva destina-se, dentre outras profissões, a facilitar o trânsito de médicos que tenham se formado num Estado-Membro ou que tenham passado pelo processo de equivalência de sua habilitação em qualquer Estado-Membro. Ou seja, regula como um médico formado em Portugal poderá exercer a medicina na Alemanha, por exemplo.

Entretanto, é importante ressaltar que esta Directiva aplica-se APENAS a cidadãos comunitários, ou seja, nomeadamente a médicos que tenham cidadania europeia.

Nestes termos, caso um profissional médico, detentor de uma nacionalidade europeia, tenha seu diploma dado como equivalente ao da formação médica em algum país europeu e tenha exercido a medicina em tempo integral (>40h semanais) 3 anos consecutivos nos últimos 5 anos nesse país, terá um direito adquirido do reconhecimento da sua profissão em outro país europeu.

Assim, se você tem o desejo de futuramente se mudar e exercer a profissão na Europa, inclusive em diferentes países, isso pode sim ser possível e muito mais fácil para você que é cidadão europeu!

Há sempre um caminho

Neste artigo apontamos alguns exemplos de países que estão abertos a receber médicos estrangeiros. No entanto, todos eles têm seu grau de dificuldade para conseguir a equivalência do diploma médicos.

E para você que também não quer ter fronteiras, basta escolher o país que se adapta melhor com suas expectativas e desejos, sejam eles culturais, financeiros ou climáticos, e seguir o seu rumo em busca da realização deste sonho!

Não deixe de ler também meu artigo sobre como funciona no Sistema Nacional de Saúde em Portugal.

Dra. Mariana Ramalho
Médica Consultora Associada

Inscrição na Ordem dos Médicos em Portugal: como fazer passo a passo

By | Artigos | No Comments

Já que a etapa da equivalência do seu diploma médico foi vencida, agora prepare-se para o próximo passo para realização do sonho de ser médico em Portugal: a inscrição na Ordem dos Médicos (OM).

Acompanhe este artigo com todo o passa a passo, documentação e dicas para concluir com sucesso mais esta fase da sua jornada para o exercício profissional da Medicina em Portugal.

Ainda não pediu equivalência do diploma médico em Portugal? Descubra como fazer neste artigo.

Inscrição na Ordem dos Médicos em Portugal: etapas

O pedido deve ser feito presencialmente, pelo próprio requerente ou por procurador, na Ordem dos Médicos (OM) escolhida (normalmente Lisboa, Porto ou Coimbra, que são as maiores) e é composta por basicamente 2 etapas:

1. Requerimento de inscrição;
2. Pedido para a Autonomia do Exercício da Medicina.

Ambos os pedidos podem ser entregues simultaneamente, no entanto a autorização do exercício autônomo da medicina é avaliada por um júri e pode demorar alguns meses (3-6 meses) dependendo da época do ano que se dá entrada no pedido.

Assim, é possível ser chamado para a inscrição na ordem antes mesmo da decisão final do júri sobre o exercício autônomo da medicina.

Documentação

A lista de documentos e legislação pode ser consultada no próprio site da OM.

Em geral, os documentos necessários para o pedido são os seguinte:

1. Impresso de modelo aprovado para inscrição disponibilizado pela OM;
2. Passaporte, fotocópia, autenticada e apostilada, ou conferida pelos serviços da OM;
3. Diploma de licenciatura ou fotocópia autenticada e apostilada;
4. Certificado de equivalência concedido por instituição de ensino superior em Portugal;
5. Certificado do registo criminal, emitido há menos de 3 meses pelas autoridades do país de origem com firma reconhecida e apostilado;
6. Cartão de contribuinte fiscal – NIF ou fotocópia autenticada ou conferida pelos serviços da OM;
7. Prova da honorabilidade profissional, emitida pela entidade competente para o registo e controle disciplinar dos médicos do país de origem ou proveniência.  Esta prova deve atestar que o interessado se encontra em condições legais de exercer a profissão sem restrições e que não existem processos disciplinares pendentes ou sanções disciplinares. Caso nunca tenha exercido a medicina no Brasil deverá pedir uma declaração ao CRM da sua região de como nunca ter estado inscrito e, portanto, não exerceu a medicina;
8. Certificado de reciprocidade (não necessário no caso da formação de médico ser no Brasil);
9. Três fotografias originais, tipo passe (3×4);
10. Curriculum Vitae elaborado e instruído de forma a comprovar o exercício profissional lícito e efetivo da profissão médica.

Saúde privada em Portugal: veja como funciona e se vale a pena utilizar.

Outros documentos

Em Portugal, diferentemente do Brasil, o exercício profissional da medicina é condicionado aos recém-formados. Estes necessitam de um ano de experiência profissional subordinada (Internato de Formação Geral) para posteriormente adquirirem a autonomia da medicina mesmo depois de concluírem o curso de medicina.

Portanto, todos os médicos formados no Brasil necessitam comprovar o exercício profissional da medicina por pelo menos 3 anos nos últimos 5 anos, em período de trabalho integral, pelo menos 40h semanais, para terem o direito de exercer a medicina autonomamente em território português.

Assim, deverão os interessados juntar provas da experiência profissional adquirida durante esse período e submetê-la juntamente com os demais documentos no pedido de inscrição da OM. Serão posteriormente avaliados por um júri da OM que determinará se o candidato tem ou não condições para o exercício autônomo.

Equivalência ao grau mestre em Medicina: veja o passo a passo para conseguir.

Cartão da OM

Após inscrição na OM, é necessário agendar para fazer presencialmente o Cartão da OM. Será preciso tirar fotografia digital no ato e a assinatura digital será recolhida.

Esta cédula profissional tem grande utilidade para o exercício da medicina em Portugal, visto que além de servir como identificação é utilizada para a prescrição de receitas eletrônicas.

Quer saber mais sobre a prescrição eletrônica e como ser médico em Portugal? Leia este artigo.

Curiosidades

Em Portugal é necessário optar por um nome profissional que pode ser mais curto que seu nome completo. Como regra de base não pode haver dois nomes profissionais iguais ou confundível com o de outro médico já inscrito.

Assim, esse processo que parece complicado é apenas mais burocrático e demorado que a inscrição no nosso CRM brasileiro, mas com organização ele se torna bastante simples.

Se você já chegou até esta etapa, PARABÉNS! Seu objetivo foi alcançado e você já é um médico autorizado a exercer a medicina em Portugal.

Entretanto, se você é especialista e deseja atuar como especialista em Portugal, precisará ainda passar pela última etapa, de reconhecimento da sua especialidade médica. Continue me acompanhando, que em um dos próximos artigos falaremos sobre este tema!

Dra. Mariana Ramalho
Médica Consultora Associada