Category

Artigos

Saúde Privada em Portugal: veja como funciona e se vale a pena utilizar

By | Artigos | No Comments

Existem diversos modelos de saúde implementados a nível mundial e, não diferente, coexistem subsistemas de saúde pública e saúde privada em Portugal. Neste artigo vou explicar como funciona o sistema de saúde privada no país e se vale a pena fazer o investimento para utilizá-lo.

Se nenhum deles é gratuito, qual a diferença entre o sistema de saúde pública e saúde privada em Portugal?

O sistema de saúde pública é aquele subsidiado pelo governo e, apesar de muito semelhante em filosofia ao nosso SUS do Brasil, em Portugal ele não é totalmente gratuito, uma vez que existem taxas a serem pagas para consultas, urgências e tratamentos a depender da doença. Sendo alguns casos isentos, tanto pela causa da doença (ex. doenças oncológicas) quanto por baixo rendimento.

Por sua vez, o sistema de saúde privada é aquele cuja prestação de serviços não é subsidiada pelo governo. Este tipo de sistema veio a crescer bastante nos últimos anos em Portugal, em especial após a crise que assolou a Europa em 2008/2009, em razão da diminuição do investimento no setor público de saúde.

2. Antes de tudo: como fazer a inscrição de utilizador (utente)?

Primeiramente terá que se inscrever numa Unidade de Saúde da Família (também popularmente chamado Centro de Saúde), na sua área de residência preferencialmente, como utente (paciente), só então terá um número de saúde associado que se chama Número do Utente. A partir daí, o seu Médico de Família iniciará toda a cadeia de cuidado de saúde.

Para que isso aconteça é fundamental ter em mãos seu PB4. Documento este já mencionado em artigo anterior, saiba tudo sobre ele.

Quais os principais benefícios da saúde privada em Portugal?

O acesso mais rápido aos cuidados, a possibilidade da escolha do médico e, portanto, maior conforto para o usuário são os principais fatores de procura pela saúde privada em Portugal.

Por exemplo, imagine que você tem diabetes e que, apesar de acompanhada no seu “Médico de Família” em Portugal, ainda está descontrolada. Lembrando que em Portugal para qualquer pessoa inscrita no Sistema Nacional de Saúde é designado um “Médico de Família”, responsável por todo o seu acompanhamento de menor gravidade ou que não demande a intervenção de um outro especialista. Optando por dar continuidade ao atendimento no Sistema Público, seu “Médico de Família” vai pedir uma consulta de endocrinologia no Hospital da sua área de residência e será necessário esperar a resposta do Hospital para a marcação da sua consulta, sendo que essa espera pode durar meses. Mas se você tiver a possibilidade de ir a um Hospital ou Clínica privada (atendimento pelo Sistema de Saúde Privada em Portugal), a consulta pode demorar apenas alguns dias para sua realização.

Quem são os principais prestadores de serviços?

Temos em Portugal grandes grupos prestadores de serviço privados na área da saúde, na sua maioria compostos por hospitais e clínicas, como o Lusíadas, a Luz Saúde e o José de Mello Saúde (Hospitais CUF).

Paralelamente, existem também prestadores de serviços de menor porte e médicos com seus consultórios particulares, de maneira muito semelhante ao que acontece no Brasil.

Quer saber como ser médico em Portugal? Veja aqui como atuar no país.

saude privada em portugal hospital

Seguros de Saúde

Diversos seguros de saúde (planos de saúde) são também oferecidos no mercado português e alguns têm excelentes coberturas, que até incluem Hospitais Internacionais como o Johns Hopkins (EUA) ou Clínico de Navarra.

Valores dos Seguros de Saúde

Os valores dos seguros variam bastante a depender da cobertura, companhia escolhida e idade do segurado.

Podem variar desde 10€ até 70€ mensais, por exemplo, para pessoas de 30 anos de idade. Costumam ser muito mais baratos do que estamos acostumados no Brasil, mas funcionam por cotas máximas de gastos em cada categoria de acordo com a cobertura escolhida no seguro.

Por exemplo, se necessitar de uma hospitalização cujo valor total foi 20.000€ e escolheu um seguro que terá cobertura máxima de 15.000€ em hospitalização (10% comparticipação, mínimo 200€ e máximo 500€), terá que pagar 500€ da coparticipação nos gastos dos 15.000€ cobertos pela seguradora e mais os 5.000€ que a seguradora não irá cobrir.

Vale lembrar que todos os seguros de saúde privados em Portugal são comparticipados pelo usuário. Ou seja, além do valor mensal ainda é preciso pagar um valor no ato da utilização, como o exemplo anterior.

Você é médico no Brasil e quer saber como pedir equivalência de diploma médico em Portugal? Veja o passo a passo aqui.

Preços de consultas

Os preços de coparticipação dos procedimentos e consultas também variam de acordo com uma tabela do seguro escolhido. Consultas, por exemplo, podem custar de 15€ à 50€ para o utilizador do seguro, assim como há larga variação dos valores de exames laboratoriais, cirurgia ou outros procedimentos invasivos.

Período de carência dos seguros de saúde

Por aqui também existe o período de carência, que varia conforme o tipo de procedimento e o seguro contratado, mas numa média de 1 ano para partos e cirurgias programadas, 90 dias para hospitalizações e 60 dias para assistência ambulatorial.

Outra observação é que a maioria dos seguros de saúde estabelece uma idade máxima para assegurar o usuário se a contratação do seguro for a partir de 55 anos de idade, acabando o contrato quando o usuário completa 65 anos de idade.

Coberturas dos seguros de saúde

Além disso, é importante entender que a maioria dos planos de saúde privados não cobre doenças preexistentes, doenças psiquiátricas ou tratamentos de abuso de drogas ou álcool, tratamentos e cirurgias estéticas, fertilização artificial e lesões provenientes de competições esportivas ou acidente de trabalho.

Por exemplo, se já tem algum diagnóstico oncológico prévio este não será coberto pelo seguro.

Se você está pensando em se mudar para Portugal, veja se é melhor solicitar nacionalidade portuguesa ou visto de residência para o país.

Afinal, vale a pena utilizar a saúde privada em Portugal?

O custo dos seguros, quando comparados aos planos de saúde brasileiros, são baratos e compensam a utilização. Além disso, os preços pagos nas consultas (de 60€ podem passar a 15€) e nos procedimentos (ecografia abdominal passam de mais de 50€ para apenas 12,5€) reduzem consideravelmente, o que permite uma segurança maior de um atendimento imediato pela especialidade de interesse, já que o sistema público de saúde em Portugal funciona a base de referenciação.

Mais uma vez ressalto que os valores exatos de consultas e procedimentos variam entre os vários Hospitais e Clínicas privadas, assim como o valor comparticipado pelo usuário vai depender do seguro de saúde escolhido.

Quando o assunto é qualidade, há sobreposição entre público e privado pois muitos dos profissionais da área trabalham nos dois sistemas, mas com a vantagem que no privado não há longas filas de espera e é possível escolher por qual profissional será atendido.

Portanto, se o seu objetivo é ter conforto e agilidade a resposta é sim, claro que vale a pena!

 

Dra. Mariana Ramalho
Médica Consultora Associada

Imóveis à Prova de Tempestade

By | Artigos | No Comments

A economia de Portugal está andando a mil por hora, mas nem sempre será assim. É importante entender os ciclos econômicos e saber que um dia o mercado pode ficar mais azedo e competitivo.

Minha experiência é que a melhor forma de se proteger do vai e vem da economia é investir em imóveis imóveis turísticos para a turma dos 1% mais ricos do mundo, que terão sempre uma vida mais suave que os concorrentes.

Enquanto os simples mortais apertam os cintos e deixam de ir em viagens e restaurantes, a classe de altíssima renda no máximo deixa de fazer investimentos mais arriscados ou compras da terceira ou quarta casa.

Os hábitos de consumo de viagens, lazer e restaurante deste público praticamente não mudam, garantindo uma demanda muito mais sólida e constante.

E embora os imóveis de luxo sejam mais caros por metro quadrado, a realidade é que o retorno é melhor que os imóveis econômicos.

O que acontece é o fenômeno da diluição de despesas fixas. A conta de eletricidade, água, gás, tv a cabo, limpeza, check-in/out, contador são as mesmas para um apartamento de luxo que fatura 30.000 euros por ano ou para um econômico que recebe 10.000 euros.

É até engraçado pensar que as despesas são proporcionalmente 3 vezes mais caras para o apartamento econômico, que sofre com uma lucratividade menor.

Se o apartamento de luxo tem margens maiores e aguenta melhor a tempestade, vale o esforço de juntar mais dinheiro e comprar um imóvel nesse segmento.

O segredo para escolher bem é exigir qualidade superior em todos os aspectos. É preciso ter excelente localização, fachada imponente, acabamento de primeira, exposição solar adequada, conforto térmico e sonoro, serviços de alto nível, enfim todo o pacote.

Com essa estratégia em mente, vasculhamos a cidade do Porto para encontrar as três melhores oportunidades de investimento em imóveis de luxo.

Infante

Localizado na principal rua da região da Ribeira do Porto, colado aos principais pontos turísticos da cidade. Apresenta uma arquitetura antiga, que vem de encontro com a preferência do turista europeu que procura viver a história do local. Acabamentos de primeira qualidade e com excelente área comum.

Apartamentos entre 240.000 e 425.000 euros.

Aliados 107

Localizado no coração de avenida mais nobre da cidade. Do lado dos melhores hotéis e com fácil acesso à toda região turística. Arquitetura clássica e acabamentos impecáveis. Não há nada que seja possível criticar em relação à este empreendimento.

Apartamentos por 360.000 a 425.000 euros.

Sementeira

Por último, porém sem pecar no quesito qualidade, o empreendimento Sementeira tem frentes tanto para a Rua das Flores e como para a Mouzinho da Silveira, que junto com Aliados e Ribeira formam a trindade das grandes localizações turísticas da cidade do Porto. Linda fachada, excelente acabamentos e localização inigualável.

Apartamentos por 550.000 euros.

Para mais informações, complete o formulário
o seu e-mail e celular/whatsapp que retornamos.

Autor: Marcio Fenelon

Disclaimer
O relatório reflete única e exclusivamente a opinião pessoal do especialista.O estudo é baseado em informações disponíveis ao público, consideradas confiáveis na data de sua publicação.O conteúdo contém estimativas baseadas em expectativas que estão sujeitas a mudanças e que podem não se confirmar.Os destinatários devem fazer suas próprias análises e tomar a decisão de investimento única e exclusivamente com seu próprio julgamento.Embora o relatório seja gratuito, a Atlantic Bridge estabeleceu parceria para receber remuneração caso haja concretização de negócio.

Opinião: Sistema Nacional de Saúde em Portugal é para ricos e pobres

By | Artigos | No Comments

Para aqueles que emigram de seu país é sempre importante compreender como funciona a saúde no país de destino para um melhor planejamento e utilização do serviço de saúde.

No que se trata de sistemas de saúde, assim como no Brasil, em Portugal há um funcionamento paralelo tanto do sistema de saúde público quanto do privado. No entanto, em termos de utilização, tanto ricos quanto pobres usam o sistema público por sua qualidade e profissionais de excelência.

A seguir vamos explicar como funciona o sistema de saúde em Portugal, com dicas que podem facilitar a utilização e que são importantes para entender seu funcionamento.

Sistema Nacional de Saúde (SNS)

A criação do Serviço Nacional de Saúde (SNS) em 1979 veio marcar o início de um sistema nacional de saúde português que tem por função principal assegurar o direito à saúde (promoção, prevenção e vigilância) a todos os cidadãos de forma universal, compreensiva e equitativa.

Para entendê-lo primeiramente desconstrua o que você conhece sobre o SUS brasileiro, e seguem aqui os principais motivos:

  • Apesar de bastante semelhante em filosofia, em termos de qualidade o SNS ganha de lavada no nosso “pobre” SUS;
  • Para os utilizadores, esqueça a gratuidade absoluta dos serviços e a carência total. Sim, em regra aqui pagam-se taxas (“taxas moderadoras”) pelo seu uso;
  • Já se você é um colega médico, apaixone-se pela possibilidade de poder trabalhar com boas condições de execução das suas funções e capacidades, bons meios complementares diagnósticos, materiais e medicamentos.

Sabe como pedir equivalência de diploma médico em Portugal? Descubra aqui.

1. O sistema de saúde por etapas

Se acaba de chegar em terras lusas é importante que entenda que o SNS funciona por etapas, ou seja: não basta querer ter consulta de ginecologia para fazer meu rastreio anual, ou pedir todos os exames que você pede todo ano no Brasil, ou ir para o dermatologista porque sua pele está muito estragada do frio.

Respire fundo e entenda que aqui não funciona assim!

Isto porque para que todos os seus pedidos sejam atendidos pelo seu “querido médico assistente” (Médico de Família) é preciso uma razão plausível que justifique o mesmo.

Trata-se de um sistema onde a prevenção e atenção primária funcionam de forma devida, primeiro terá um Médico de Família. Este mesmo será responsável por todo o seu seguimento de saúde, apenas nas situações de maior gravidade ou de difícil resolução sem um especialista da área médica específica é que será encaminhado para um hospital para investigar e tratar da patologia.

Medicina em Portugal: conheça o regulamento uniformizador e edital da Universidade de Lisboa.

2. Antes de tudo: como fazer a inscrição de utilizador (utente)?

Primeiramente terá que se inscrever numa Unidade de Saúde da Família (também popularmente chamado Centro de Saúde), na sua área de residência preferencialmente, como utente (paciente), só então terá um número de saúde associado que se chama Número do Utente. A partir daí, o seu Médico de Família iniciará toda a cadeia de cuidado de saúde.

Para que isso aconteça é fundamental ter em mãos seu PB4. Documento este já mencionado em artigo anterior, saiba tudo sobre ele.

3. Médico de Família, seu melhor amigo!

A partir do momento que se torna utente pode marcar consultas localmente na Unidade de Saúde ou através do próprio site do SNS: Yes baby, a tecnologia à favor da saúde!

Na parte do site que diz cidadão é possível fazer um cadastro com seu Número de Utente e a partir daí marcar consultas da sua própria casa e ainda é possível fazer download da app, MySNS, nos smartphones.

As consultas com o Médico de Família na sua Unidade de Saúde da Família terão um custo de 4,5€ e é lá que terá que atualizar suas vacinas, fará seus rastreios, como citológico ou mamografia e ainda o seguimento do PSA, no caso dos homens.

Você tem direito à cidadania portuguesa? Descubra aqui e saiba como solicitar.

Mesmo crianças e gestantes de baixo risco serão seguidos pelo Médico de Família com um programa bem determinado pela Direção Geral de Saúde, tanto em questão da frequência quanto de metas que devem ser atingidas por esse grupo especial de pacientes. Sempre que estiver sentindo necessidade de atendimento de saúde é seu Médico de Família que estará ali para atendê-lo.

Exames que sejam necessários até ao grau de complexidade de tomografias tem a possibilidade de serem pedidos pelo Médico de Família. Assim, através de convênios entre o público e o privado o SNS consegue otimizar o seguimento de vários utentes ainda no atendimento primário e minimiza a necessidade de encaminhamentos hospitalar e das infindáveis filas de espera.

Vou lhes dar um exemplo:

Imagina que você tem história familiar de câncer da tireoide e tem um nódulo já conhecido, vai precisar de um seguimento mais apertado certo? Seu Médico de Família pode pedir a ultrassonografia e se suspeita de algum nódulo pode fazer muitas vezes até a biópsia em clínicas privadas conveniadas ao SNS, isso faz cair brutalmente o tempo de espera e só depois de confirmação de qualquer diagnóstico de malignidade que há encaminhamento para o Hospital de referência.

Facilita a vida do utente, diminui as filas de espera e faz com que seja possível muitas vezes fazer diagnósticos precoces de malignidades, doenças degenerativas e autoimunes que ainda podem ser tratadas sem trazer muitas sequelas aos utentes.

Como ser médico em Portugal: veja os principais passos e desafios.

4. Resultados de exames e pedido de medicação crônica

Outra estratégia bastante interessante é a possibilidade de marcar consulta apenas para entregar resultados de exames, pedir alguns exames ou pedir renovação de medicação de uso crônico sem necessidade da presença física do paciente no local. Custa mais barato (2,5€) e não é necessário esperar por uma consulta.

Essa é a grande vantagem do Médico de Família: ele conhece você e seu estado de saúde. Por isso que digo que ele pode ser seu melhor amigo e aliado!

Ele vai conhecer aquele seu sinal (pinta) que no espaço de um ano mudou de cor e está com característica esquisitas, ele vai entender seu histórico familiar sem que toda vez você tenha que repetir todos os seus antecedentes familiares de doença, ele vai entender que você tem necessidades diferentes de outros pacientes pelo simples fato de que ele te seguirá por vários anos.

Nacionalidade portuguesa ou visto de residência? Veja qual a melhor forma de viver legalmente em Portugal.

5. Referenciação hospitalar

Como já foi possível entender a referenciação para nível hospitalar é uma fase avançada nas etapas do seguimento em saúde pública. Existem critérios que devem ter sido alcançados para uma possível referenciação.

Exames já devem ter sido realizados e diagnósticos de exclusão mais básicos devem ter sido excluídos e, só então, o Médico de Família poderá fazer um pedido para um Hospital de referência que tenha a especialidade pretendida. Geralmente, será referenciado para o hospital mais próximo da área de cobertura do centro de saúde, no entanto, o paciente tem o direito de escolher o hospital que pretende ser seguido.

Para conseguir a nacionalidade portuguesa é preciso comprovar laços de efetiva ligação com a comunidade portuguesa, você sabe como fazer isso? Descubra neste artigo.

 

Dra. Mariana Ramalho
Médica Consultora Associada