Portugal é o Novo Destino dos Sonhos dos Americanos

By | Artigos, Golden Visa, Imobiliário, Investimentos

Parece que 2022 será o ano dos americanos em Portugal. O país tem se tornado um dos destinos de recolocação mais populares do mundo. E as razões são muitas. Cenários idílicos, segurança, benefícios fiscais generosos, e um dos mais baixos custos de vida da Europa Ocidental. Para quem se resolve viver em Portugal, existe a opção de solicitar a cidadania portuguesa após apenas cinco anos de residência legal – um dos prazos mais rápidos da União Europeia. Isso sem falar nos benefícios da cidadania portuguesa; mais liberdade de viagem, melhor escopo para planejamento tributário, maior qualidade de vida e acesso a um porto seguro.

Americanos no topo do ranking do Golden Visa Portugal


Portugal é um bom lugar onde viver e aplicar capital. Os americanos estão, cada vez mais, se dando conta disso, e já representam quase um quinto do número total de investidores do Golden Visa Portugal em 2022, segundo os dados divulgados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras – SEF.  Somente nos 5 primeiros meses de 2022, 94 americanos já adquiriram o Golden Visa Portugal, o que representa mais de 19% do total de atribuições.

No ano de 2021 foram concedidas 102 Autorizações de Residência para Atividade de Investimento (ARI) para cidadãos provenientes dos Estados Unidos, o que já era um número histórico:  em 2020, foram 75 e em 2019, 65. 

 

 Total de Autorizações de Residência por Investimentos Concedidas Autorizações de Residência por Investimentos Concedidas a Americanos
Janeiro/ 20229417
Fevereiro/ 20229421
Março/ 2022 7314
Abril/ 202212126
Maio/ 202211216

Fonte: SEF

 

Conheça o Golden Visa Portugal de 280 Mil Euros

Portugal na rota dos investidores e aposentados


A entrada legal de americanos em Portugal não vem acontecendo somente através da Autorização de Residência por Investimento – ARI. Muitos deles estão chegando no país com o Visto D7, que é voltado para detentores de renda passiva. A atratividade é fácil de explicar: o rendimento médio nos Estados Unidos costuma ser bem mais elevado que em Portugal, fazendo com que este seja um excelente país para os expatriados americanos viverem como aposentados, mantendo um elevado padrão de vida. Foi eleito em 2022 pela
International Living o 4º melhor destino do mundo para se aposentar, e já havia sido citado nos últimos anos em listas semelhantes divulgadas por diferentes publicações e sites. Em 2020, a Forbes chegou a eleger Portugal como o destino de melhor valor na Europa Ocidental da atualidade. “Um lugar onde não só os dólares realmente valem, mas onde a qualidade de vida é alta, a saúde é excelente e de baixo custo, o ritmo é lento e agradável e a população é infinitamente acolhedora”, resumiu a publicação. 

Saiba quem pode requerer o visto D7

Por que os Americanos estão escolhendo Portugal?

A lista de razões é muito grande, listamos aqui algumas das motivações mais citadas pelos expatriados:

Bom clima

Em Portugal há bastante sol. A média é de 300 dias de sol por ano, um dos valores mais altos da Europa! Portugal tem um clima temperado e as estações são bem divididas. Os verões são quentes e secos e os invernos frios e úmidos. 

Cuidados de saúde gratuitos

Em Portugal, os cuidados de saúde são de alta qualidade e uma fração do custo nos EUA. E se você se tornar um residente permanente, poderá aceder ao sistema nacional de saúde, de caráter universal e praticamente gratuito. 

Saiba tudo sobre saúde em Portugal

Segurança 

Em 2021, Portugal foi considerado o 4º país mais pacifico do mundo, segundo ranking do Instituto de Economia e Paz (IEP), que afere os níveis de paz mundial. Além de ser um país muito pacífico, a sua criminalidade geral também é baixa.

Educação de qualidade e a baixo custo

Muitas famílias americanas vêm a Portugal também pensando na educação dos filhos. A escola pública é gratuita e de qualidade até o 12º ano. E as universidades são muito mais baratas que nos Estados Unidos. 

Reduzido custo de vida

Viver em Portugal chega a custar um terço de viver em cidades dos Estados Unidos, em especial, na Califórnia. Desse modo, ter salários no padrão americano e despesas no padrão português é um excelente negócio. 

Leia nosso artigo sobre custo de vida: Portugal x EUA

Alimentação segura

Portugal tem padrões sanitários e de bem-estar animal muito rigorosos. Alimentos são devidamente rotulados, muitos pesticidas são proibidos pela União Europeia, o que permite uma alimentação muito mais saudável. Em algumas regiões, como a Madeira, os produtos cultivados localmente (como bananas e abacates) são abundantes e de baixo custo.

Lazer e qualidade de vida

Neste pequeno tesouro ibérico há todo tipo de esportes náuticos, os melhores campos de golf do mundo, natureza, qualidade de vida, vinhos e uma gastronomia inigualável. É um país que valoriza a família, com muitos parques públicos, que preserva seu patrimônio, com muitas atividades culturais voltadas para suas comunidades e que respeita as diferenças. 

Portugueses falam inglês

Portugal é o sétimo país onde melhor se fala inglês no mundo, de acordo com o relatório EF English Proficiency Index (EF EPI).

Facilidade nos processos 

Sabemos que o processo de mudança pode ser trabalhoso e com muita papelada envolvida. Apesar disso, Portugal apresenta algumas vantagens face a outros países em relação aos seus programas de imigração. O Estatuto do Residente Não-Habitual prevê benefícios fiscais por um período de 10 anos a pessoas singulares que não tenham sido tributadas como residentes fiscais portugueses nos cinco anos anteriores. O Golden Visa Portugal possui valores de investimento baixos, comparativamente com programas de outros países, além de permitir reagrupamento familiar e a possibilidade de trabalhar no país. As suas taxas consulares também estão entre as mais baixas da Europa.

Portugueses são hospitaleiros e respeitam as diferenças

Os portugueses são muito acolhedores e recebem bem todos os visitantes. O aumento do turismo está aí para comprovar. É verdade que a fama do país foi também resultado da explosão de artigos internacionais sobre suas cidades, e inúmeros prêmios de turismo recebidos nos últimos anos. Mas se os turistas não fossem recebidos tão calorosamente como são, independentemente da quantidade de prémios que Portugal arrecadasse, os resultados nunca seriam estes. 

Portugal é um país que respeita as diferenças, e até apareceu no 1.º lugar de uma lista de 65 países amigáveis para imigrantes, de acordo com um estudo da Inter Nations, divulgado em 2018 na revista Forbes. O estudo mostra que 94% dos habitantes têm atitude amigável em relação aos expatriados, e que quase metade dos expatriados consideram ficar para sempre no país. Não é incrível? Não é a tôa que Portugal seja o 5º melhor país para expatriados no ranking do Expat Insider 2021.

Legislação favorável à imigração

O país possui uma legislação nacional favorável à imigração, permitindo a regularização com relativa facilidade de estrangeiros. Acolhe como nacionais aqueles que residem no país há mais de cinco anos. Possui diferentes vistos para quem decide entrar legalmente no país, seja para trabalhar local ou remotamente, estudar, viver como aposentado ou investir.  

 

Se pensa em morar em Portugal é recomendável buscar a orientação de um especialista. Na Atlantic Bridge ajudamos os nossos clientes a desfrutar da qualidade de vida em Portugal através do visto que melhor se adequa ao seu perfil. Preencha nosso formulário e inicie agora sua jornada.

 

 

 

Portugal x Espanha x Grécia: Qual o Melhor Programa de Golden Visa?

By | Artigos, Golden Visa, Investimentos

A busca pelos programas de Golden Visa têm aumentado nos últimos anos. Adquirir um visto dourado é a melhor apólice de seguro possível contra riscos econômicos e políticos em um mundo volátil. 

Esses programas concedem uma série de benefícios para o seu titular e suas famílias. O principal deles é a possibilidade de obtenção de uma segunda cidadania. Também permitem residir no país escolhido para investir, viajar por diferentes países sem necessidade de vistos, entre outros. 

É ideal para detentores de alto patrimônio líquido que desejam expandir as oportunidades de negócios e  alargar o alcance do mercado, e uma excelente alternativa para quem quer ampliar o seu estilo de vida. 

Grécia, Portugal e Espanha possuem atualmente os programas de Golden Visa mais desejados da União Europeia. Dentre estes, o Golden Visa Português ainda é a opção mais vantajosa, confira os principais motivos a seguir!  

 

O que é um Golden Visa?

“Golden Visa” é um programa específico desenvolvido por alguns países que concede aos investidores o direito de residência e/ou de obtenção de cidadania em troca de um investimento qualificado

Existem mais de 100 países ao redor do mundo que possuem legislação de visto dourado em vigor. Alguns deles concedem de imediato a cidadania, e esses programas são chamados de Programas de Cidadania por Investimento. Outros, concedem de imediato a residência, ainda que sem a obrigação de tornar-se residente, mas com a possibilidade de obter a cidadania após determinado tempo (como é o caso do Golden Visa de Portugal, da Espanha e da Grécia), e esses são chamados de Programas de Residência por Investimento.

 

Requisitos para obter um Golden Visa

Cada país tem uma lista de requisitos diferentes para requerer o Golden Visa. Porém, existe um conjunto de exigências que são gerais nos Programas da Grécia, Espanha e Portugal: 

  • Os candidatos devem ser cidadãos de fora da UE, do EEE ou da Suíça;  
  • Os candidatos precisam ter uma ficha criminal limpa;
  • É necessário realizar um investimento financeiro no país;
  • É necessário comprovar que seus fundos são provenientes de fonte legal.

 

Os Golden Visa da Espanha, Grécia e Portugal são iguais?

Não. Os programas parecem semelhantes, mas variam significativamente em alguns aspectos. 

Os três estão enquadrados na categoria de Autorização de Residência por Investimento e, portanto, conferem o direito de morar no país correspondente, mas não concedem a cidadania de forma automática. 

Todos eles também permitem viagens dentro dos países Schengen sem a necessidade de visto adicional. 

Existem, entretanto, grandes diferenças em relação às opções de investimentos e seus valores, assim como quanto à obrigação de residência, possibilidade de trabalho, prazo mínimo de manutenção do investimento e interpretação do conceito de reagrupamento familiar.

 

Saiba porque tantos americanos estão buscando o Golden Visa Portugal.

 

Custo de vida em Portugal

Lisboa

Onde e quanto preciso investir?

O primeiro ponto de destaque para o Programa de Golden Visa de Portugal é a grande variedade de opções de investimento elegíveis e os seus valores bastante competitivos, comparativamente com os respectivos programas da Espanha e da Grécia. 

Portugal apresenta modalidades de investimento que vão desde opções imobiliárias, passando por transferência de capitais, criação de empregos, investimento em fundos de capital de risco, investigação científica e tecnológica e até mesmo investimento em cultura, arte e no patrimônio cultural.

Em termos financeiros, Portugal e Grécia oferecem as opções de investimento com valores mais baixos: a partir de €250.000.

No caso da Grécia esse é o valor mínimo para aquisição de imóvel. Já para Portugal, esse é o montante mínimo para promoção da cultura, arte e patrimônio nacional. 

Relativamente ao investimento imobiliário, as opções elegíveis ao Golden Visa Portugal partem de um valor mínimo de €280.000 podendo chegar aos €500.000 a depender das características do imóvel e da sua localização.

 

Conheça o Golden Visa Portugal de 280 mil euros.


No caso da Espanha, o montante mínimo elegível ao Programa Golden Visa é de €500 mil euros, com foco na realização de um investimento imobiliário ou financeiro.

A tabela a seguir apresenta um resumo comparativo das principais modalidades de investimento elegíveis aos Programas de Golden Visa de Portugal, da Espanha e da Grécia e seus respectivos valores. As informações abaixo estão disponibilizadas no site oficial da Schengen.

 

Modalidade de InvestimentosPortugalEspanhaGrécia 
Imobiliárioi)Aquisição de imóveis a partir de 280 mil euros para serem reabilitados* em área de baixa densidade demográfica


ii) Aquisição de imóveis a partir de 350 mil euros para serem reabilitados** 


iii) Aquisição de imóveis a partir de 500 mil euros em geral**  

Aquisição de imóveis a partir de 500 mil euros i) Aquisição de imóveis a partir de 250 mil euros

ii) Celebração de contrato de arrendamento por 10 anos para alojamento hoteleiro ou residências turísticas mobiliadas em complexos turísticos;
Transferência de CapitaisA partir de 1,5 milhões A partir de 1 milhão Transferência de capital de €400.000 a uma instituição de crédito nacional
Empresariali) Criação de pelo menos 10 postos de trabalhos permanentes

ii) Criação de nova empresa ou investimento em empresa já existente, com investimento a partir de 500 mil euros no capital social e criação de pelo menos 5 postos de trabalho permanentes
Investimento em negócios a partir de 1 milhão de euros Investimento de capital de pelo menos €400.000 em uma empresa registrada na Grécia
Fundos de Investimento e/ou Títulos Públicos Aquisição de quotas no valor mínimo de 500 mil euros em Fundos de Investimento em Capital de RiscoInvestimento em Títulos Públicos a partir de €2 milhõesi) Investimento em títulos do governo grego ou ações de fundo de capital de risco

ii) Investimento de €800.000 em títulos corporativos gregos
Investigação Científica e TecnológicaInvestimento a partir de 500 mil euros
Patrimônio Nacional, Arte e Cultura Investimento a partir de 250 mil euros 
*Esses imóveis para reabilitação devem ter mais de 30 anos ou estarem localizados em ARUs.
**Para Porto, Lisboa, Algarve, etc esses imóveis devem ter afetação comercial. Para as demais áreas do país, os imóveis podem ter também afetação habitacional.

 

https://atlanticbridge.com.br/portugal-x-espanha-x-grecia-qual-o-melhor-programa-de-golden-visa/

Portugal, Espanha ou Grécia?

Morar e Trabalhar

Portugal se destaca novamente dentre os demais programas de Golden Visa relativamente aos quesitos residência e trabalho: é o único que permite (mas não obriga) a residência no país, garante a possibilidade de trabalho para o investidor e os seus familiares agrupados, e ainda apresenta o menor prazo de manutenção do investimento no país para fins de pedido de cidadania: apenas 5 anos.

Neste sentido, destaca-se que a exigência temporal mínima de permanência no território português para detentores de Golden Visa é de 14 dias a cada 2 anos (validade atual da autorização de residência temporária). 


Comparativamente, no caso do Programa Golden Visa da Espanha durante os primeiros 5 anos o investidor e seus familiares agrupados podem viver e trabalhar na Espanha, não sendo obrigatória a residência. Contudo, após estes 5 anos iniciais e até completar 10 anos é necessário efetivamente viver na Espanha para se tornar elegível ao pedido de cidadania.

Por fim, o Programa de Golden Visa da Grécia permite a residência mas não o  trabalho no país para o seu titular. Contudo, caso deseje solicitar a cidadania, é necessário que o detentor do Golden Visa efetivamente resida e mantenha o investimento por pelo menos 7 anos no país. 

 

Requisitos para cidadania 


Cada programa confere ao candidato o direito de requerer a cidadania desde que cumpra com os requisitos estabelecidos em cada país. 

Neste sentido, Portugal apresenta maior flexibilidade: não exige teste de conhecimentos sobre a cultura portuguesa, bem como requer o menor tempo de manutenção do investimento para para a solicitação da cidadania. 

Para Portugal, é necessária comprovação de português no nível básico, bem como 5 anos de manutenção do investimento no país, como principais requisitos para solicitação da cidadania. 
 

Na Grécia, são necessários 7 anos de manutenção do investimento, residência efetiva no país durante este período e ainda aprovação em exame de conhecimentos gerais sobre a cultura do país.

Já na Espanha, a naturalização só pode ser pedida após 10 anos de residência efetiva (ou excepcionalmente após dois anos no caso de cidadão de uma ex-colônia espanhola), além da necessidade de comprovação de proficiência na língua espanhola e conhecimentos gerais sobre a cultura do país.

A tabela abaixo reúne os requisitos para que o investidor possa solicitar sua cidadania em cada um dos programas apresentados:

Portugal EspanhaGrécia
  • 5 anos de manutenção do investimento;
  • Teste de Língua Portuguesa;
  • Sete dias/ano para cinco anos de residência.
  • 10 anos de manutenção do investimento e residência nos últimos 5 anos deste período*; 
  • Teste de Língua Espanhola, Teste de Cidadania Espanhola;
  • Dez anos de residência, onde a maioria de cada ano é passado na Espanha.
  • 7 anos de manutenção do investimento;
  • Teste de Cidadania Grega;
  • 183 dias/ano para sete anos de residência.
* O prazo mínimo de residência é reduzido para 2 anos no caso de cidadão de uma ex-colônia espanhola.

 

Reagrupamento familiar:

Nos Programas de Golden Visa de Portugal, Grécia e Espanha, o titular do investimento terá o direito de requerer o visto de residência para seus familiares. Cônjuges, filhos até 18 anos e pais, desde que sejam dependentes financeiramente, estão sempre cobertos pelo reagrupamento. Portugal apresenta uma vantagem ao conceder visto aos filhos do investidor que sejam dependentes e estejam a estudar, independente da idade dos mesmos.

 

Portugal EspanhaGrécia
CônjugeCônjugeCônjuge
Filhos (de qualquer idade) desde que provem a dependência económica e estudemFilhos de até 18 anos;

filhos até 21 anos desde que dependentes e estudem;

filhos com mais de 21 anos desde que demonstrem deficiência 

Filhos de até 21 anos;

filhos de até 24 anos que estudem

Pais, desde que dependentesPais, desde que dependentesPais, desde que dependentes
Sogros dependentesSogros dependentes em casos específicosSogros dependentes
Outros dependentes, como irmãos menores

 

Qual o melhor Golden Visa?

 

Validando a nossa comparação, a Revista Forbes apontou recentemente o Golden Visa Portugal como o melhor programa de residência por investimento do mundo!

Em 2021, as autoridades portuguesas concederam 865 Autorizações de Residência por Investimento (ARI). De janeiro a abril de 2022 já foram concedidos 382 vistos gold, número 17% superior ao mesmo período do ano passado, mesmo com as recentes alterações legais do programa português.

 

Vantagens do Golden Visa Portugal

 

  • Oferece mais opções de investimento face aos demais programas citados;
  • Apresenta valores mínimos de investimento bastante atrativos; 
  • Possui um conceito de agrupamento familiar mais amplo;
  • Permite, mas não exige, a residência efetiva em Portugal; 
  • Autoriza o trabalho no país; 
  • Possibilita o acesso aos cuidados de saúde e educação públicos portugueses;
  • Concede a liberdade para viajar por 187 países em todo o mundo, sem necessidade de visto; 
  • Permite o pedido de passaporte português após 5 anos de investimento.

 

Ficou interessado no Programa de Golden Visa de Portugal? Esteja à vontade para nos contactar e pedir mais informações. Nossos consultores estão prontos para te atender.

 

A corrida de Portugal ao topo dos rankings de Empreendedorismo Europeu

By | Artigos, Investimentos, Portugal

Ao longo dos últimos 10 anos, Portugal passou do extremo inferior da maioria dos rankings de empreendedorismo europeu para estar próximo do topo.

 

O Banco Central Europeu classifica agora Portugal como o segundo melhor país da Europa para a inovação empresarial. Como disse recentemente Brad Smith, Presidente da Microsoft, “é notável ver o quanto em Portugal mudou, o quão vibrante o setor de tecnologia se tornou em Portugal”.

E essas mudanças deram frutos tangíveis. Portugal criou sete unicórnios (start-ups avaliadas em mais de mil milhões de dólares): Outsystems, Farfetch, Talkdesk, Feedzai, Remote, Sword Health e Anchorage Digital. Isso se compara à Espanha com quatro unicórnios e à Itália com apenas dois unicórnios. De fato, Portugal está entre os 5 melhores países criadores de unicórnios do mundo, medido por unicórnios per capita ou por PIB.

Como isso aconteceu tão rapidamente em um país que a maioria ainda associa a praias e férias, e não a tecnologia e inovação? A resposta é simples: Pessoas e facilidade de fazer negócios.

Com o empreendedorismo os três fatores mais importantes são “Pessoas, Pessoas, Pessoas”. Portugal tem feito um trabalho fantástico na construção de competências internas e também na atração de talentos de todo o mundo. Como observa Brad Smith ““Portugal tem um grande talento local em termos de pessoas que nasceram aqui e é um lar acolhedor para talentos do resto da Europa e até mais além”.

O alto padrão e o baixo custo de vida atraíram pessoas qualificadas de todo o mundo, enquanto o excelente sistema educacional (principalmente em engenharia) resultou em uma abundância de talentos. Como resultado, a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) afirma que Portugal tem a 2ª maior taxa de licenciados em engenharia na Europa e é o 12º no mundo a encontrar novos colaboradores qualificados.

Isso combinado com a facilidade e o baixo custo de administrar um negócio para atrair empresas internacionais. Segundo a OCDE, Portugal é hoje o país da Europa mais barato para gerir um negócio. Siemens, Volkswagen, IKEA, Nestlé, Microsoft, Unilever e Danone classificam suas subsidiárias portuguesas como as mais eficazes globalmente. E todas essas empresas ajudaram a desenvolver uma grande base de funcionários qualificados e experientes com habilidades e experiência para construir seus próprios negócios.

Enquanto isso, essas mesmas vantagens atraíram empreendedores de toda a Europa e apoiaram empreendedores locais, enquanto o governo português criou um forte sistema de apoio para ajudá-los a prosperar. O governo forneceu incentivos fiscais, um programa de vistos flexível e programas educacionais gratuitos para trabalhadores de tecnologia. A Lisbon Web Summit é a maior cimeira da web do mundo e garante uma entrada anual dos principais desenvolvedores de software e empreendedores e empresas, o que cria um ambiente extremamente vibrante e dinâmico fertilizado por líderes de pensamento globais. E Portugal tem algumas das melhores aceleradoras e incubadoras de negócios do mundo. O IPN em Coimbra, por exemplo, foi classificado entre os 5 melhores a nível mundial em 2021.

O único fator que falta em tudo isso é o acesso ao capital. Durante muitos anos a Portugal Ventures foi a única empresa portuguesa de Venture Capital a investir em empresas de base tecnológica. No entanto, os sucessos da Portugal Ventures incentivaram um boom de fundos de VC semelhantes nos últimos anos e já existem mais de 50 fundos registrados. A Portugal Ventures continua a ser a maior e a única com um historial de mais de alguns anos, mas já existem 11 outras com mais de 100m€ de ativos. Com este recente influxo de capital novo, o boom deve continuar.

Fonte: Artigo publicado no site Portugal News.

 

10 Anos de Golden Visa em Portugal: o que mudou?

By | Artigos, Golden Visa, Investimentos, Vistos para Portugal

O Golden Visa Portugal está prestes a completar 10 anos de existência. Através dele, milhares de famílias puderam realizar o sonho de viver e investir em Portugal, usufruindo de uma maior liberdade financeira e qualidade de vida. O Golden Visa Portugal é atualmente um dos mais desejados da Europa. Possui valores mínimos de investimento relativamente baixos, permite aos requerentes viver e trabalhar em Portugal, tem regras de reagrupamento familiar atraentes, entre outras vantagens que já enumeramos anteriormente. Nesse artigo vamos saber um pouco mais sobre a história e a evolução do programa e quais os benefícios que ele vem oferecendo aos investidores e ao país.

O que é o Golden Visa Portugal

O programa Golden Visa de Portugal foi criado em 2012 com o objetivo de atrair capital estrangeiro e dinamizar a economia do país. Trata-se, na verdade, de uma autorização de residência para atividades de investimento (ARI) em troca de um investimento qualificado em Portugal por um período de 5 anos. É destinada aos cidadãos não comunitários/EEE que desejam obter a cidadania portuguesa ou a residência permanente. 

O Golden Visa Portugal é o único em que o investidor só tem de passar cerca de sete dias por ano no país para manter a residência. Ainda assim, ele poderá colher todos os benefícios de ser um residente da UE – incluindo as viagens sem visto em todo o espaço Schengen. Depois desse período mínimo de investimento, ele também poderá requerer sua cidadania, se cumprir todos os requisitos legais. Além disso, os benefícios são extensíveis aos familiares do titular do investimento.

Golden Visa Portugal Eleito o Melhor Programa de Residência por Investimento do Mundo

Nacionalidade dos investidores do Golden Visa Portugal

A maior parte dos Vistos de Ouro foi emitida a cidadãos chineses (embora a sua proporção tenha vindo a diminuir recentemente). Eles são seguidos por cidadãos brasileiros, turcos, sul-africanos e russos. Nos últimos anos, o Visto Gold tem sido também extremamente popular entre os cidadãos americanos, tendo os EUA ocupado mesmo o primeiro lugar em Novembro de 2021. Em 2020, foram concedidos 75 ARI a americanos, no total. Em 2021, esse número subiu para 101. E agora em 2022, em apenas dois meses, já foram concedidas 38 ARI para solicitantes provenientes dos Estados Unidos.

Total de ARI concedidas pelo SEF desde 2012

 

10 years of Portuguese Golden Visa

Mais de 10 mil autorizações de residência atribuídas

Se nos dois primeiros anos do programa foram atribuídas 496 Autorizações de Residência por Atividade de Investimento (ARI), em dez anos esse número cresceu 21 vezes. Em termos acumulados, já se concederam 10.442 vistos gold em Portugal.

 

10 Anos de Golden Visa em Portugal: o que mudou?

Total ARI por ano

Investimentos dourados

  • Desde de 2012, já foram investidos 6 189 950 701,18 € no programa Golden Visa Portugal.
  • Do total, 5 578 753 309,59 € foram investidos no mercado imobiliário.
  • A aquisição de imóveis foi responsável por 9 729 das concessões de Golden Visa
  • 693 A Golden Visas foram concedidos para investidores em Transferência de Capital
  • Foram beneficiados 10 442 investidores e 17 426 familiares.
  • Os chineses são os maiores investidores no programa.

Aquecimento do mercado imobiliário português

Nas fases iniciais do programa, o investimento imobiliário era a opção escolhida por quase todos os candidatos. Em 2013, foi responsável por 94% das Autorizações de Residência concedidas. Portugal tem um regime legal de registo predial muito sólido e simples. Além disso, os preços dos imóveis eram consideravelmente baixos em 2012, especialmente quando comparados com outros destinos na Europa. Cidades como Lisboa e Porto foram os principais alvos desses investimentos, e o programa Golden Visa foi um fator chave para dinamizar a sua reabilitação urbana. 

Com o passar dos anos, a busca por imóveis nessas cidades provocou um forte aquecimento no mercado, especialmente em três regiões: Lisboa, Porto e Algarve. Para incentivar os investimentos no interior do país, o governo decidiu restringir  a possibilidade de investimento imobiliário voltado para habitação ao interior de Portugal continental e nas ilhas da Madeira e dos Açores.

Revitalização das cidades

O Golden Visa também contribuiu para promover a revitalização das cidades. Nesses quase 10 anos de existência, foram realizados 1.131 investimentos em imóveis cuja construção tenha sido concluída há, pelo menos, 30 anos ou localizados em áreas de reabilitação urbana. São bens imóveis que foram renovados.

Pandemia fez crescer a procura por fundos de investimento 

Embora o investimento em imóveis continue sendo a opção preferida, a aplicação em fundos de investimento também vem se tornando uma alternativa procurada. Representou 9% das ARI concedidas em 2021, mais que o dobro no ano anterior. E alcançou um percentual de 15% dos investimentos realizados em Janeiro de 2022 e  25% dos de fevereiro! Isso porque, com a pandemia, aumentaram as aplicações remotas. Além disso, muitos investidores preferem investir num produto financeiro do que possuir um ativo físico em Portugal que poderá  implicar em mais despesas e exigir uma manutenção regular.

Alterações no Golden Visa Portugal em 2022

Após quase 10 anos de um programa bem-sucedido, o governo decidiu aumentar o limite mínimo de certas atividades de investimento elegíveis e limitar as áreas onde o investimento imobiliário pode ser executado. Desse modo, duas das principais atividades de investimento foram afetadas com essas mudanças:

  • Aumento de 350.000 euros para 500.000 euros para subscrição de fundos de investimento;
  • O investimento imobiliário para fins residenciais foi limitado ao interior do país, bem como às ilhas da Madeira e dos Açores. Áreas urbanas, como Lisboa e Porto, estão disponíveis apenas para compra de imóveis com fins comerciais e turísticos.

Essas não foram as únicas alterações legais aprovadas para o Regime do Golden Visa de Portugal em 2022. Saiba todos os detalhes aqui.

Portugal é um país seguro para investir!

Em muitos aspectos, o programa de Golden Visa tem sido um bom indicador de como os investidores avaliam o país. Especialmente sobre como podem manter o seu investimento com segurança pelo mínimo prazo exigido de 5 anos, além de garantir que tais investimentos sejam capazes de gerar retorno. 

No momento, Portugal apresenta um ambiente estável e regulado, proporcionando o conforto necessário para tomar a decisão de solicitar o Golden Visa no país. Segundo dados divulgados pelo SEF (Serviços de Estrangeiros e Fronteiras) até agora, o programa já beneficiou mais de 10 mil investidores estrangeiros. Também tem sido positivo para a economia portuguesa. Desde 2012, o investimento total em Portugal, como resultado direto do programa, atingiu mais de seis bilhões de euros. Consequentemente, criou empregos indiretos e um enorme estímulo em várias áreas do setor empresarial.

É uma grande notícia para potenciais investidores, uma vez que o programa conta com um amplo apoio de quase todos os partidos políticos em Portugal. Embora um governo conservador tenha introduzido o programa em 2012, o atual governo de coligação socialista expandiu mesmo o programa desde que tomou o poder no final de 2015.

Viver em Portugal é uma decisão estratégica

Por vezes, a motivação inicial para fazer o investimento não é financeira. Num mundo em rápida evolução como o em que vivemos, a opção de proporcionar a si próprio, à sua família e às suas gerações futuras a possibilidade de se mudarem para um país tradicionalmente estável e, além disso, acederem ao território Schengen, é cada vez mais encarada como um movimento estratégico e de segurança. 

Tendência de crescimento no volume de investimentos

A pandemia de Covid 19 trouxe consigo um período de muitas incertezas e de retração econômica. Agora, apesar das alterações impostas recentemente pelo Governo português, a tendência é que o programa Golden Visa Portugal volte a crescer, gerando um ciclo virtuoso de desenvolvimento para Portugal.

Os dados apresentados no primeiro mês de janeiro deste ano mostram que a popularidade do programa em Portugal se mantém. Foram concedidos 188 Vistos Gold em janeiro e fevereiro, e 23% deles referentes a transferências de capitais, como investimentos em fundos. Um bom sinal para quem quer apostar em Portugal nos próximos 5 anos.

Se você também deseja obter o seu Golden Visa, converse com um dos nossos consultores.

Franquias em Portugal de baixo investimento: um negócio viável e rentável

By | Artigos, Investimentos | No Comments

Crise para uns… oportunidade para outros! Os dados estatísticos apontam para um fluxo cada vez maior de brasileiros que emigram para Portugal com o intuito de fugirem da violência existente no Brasil, bem como do cenário político-econômico instável do país.

Uma das características mais marcantes desta atual “redescoberta” de Portugal é o fato de boa parte destes brasileiros serem profissionais altamente qualificados, ex executivos, empreendedores, aposentados, investidores ou detentores de renda própria no Brasil ou no estrangeiro.

E uma vez que decidem por Portugal, muitos vislumbram um cenário atrativo para o desenvolvimento de um negócio próprio. Não apenas por questões favoráveis do próprio mercado nacional, mas também em razão do seu próprio desejo pessoal.

Alguns são empreendedores natos, outros tantos são profissionais qualificados que desejam trilhar um novo percurso que provenha o seu sustento. Ou ainda pessoas que acumularam recursos ao longo da carreira e agora querem realizar um sonho antigo ou mesmo aposentados que ainda se sentem plenamente capazes de manter uma vida ativa.

E neste contexto atualmente existem oportunidades para todos os perfis e bolsos, incluindo franquias em Portugal de baixo investimento para aqueles mais conservadores e/ou que possuem um recurso inicial mais restrito à disposição. Confira mais detalhes a seguir.

Franquias em Portugal de baixo investimento: novo negócio x franquia consolidada

Para quem chega disposto a empreender em Portugal, as principais alternativas são:

1. Investir em um negócio próprio, partindo do zero, ou;
2. Abrir uma franquia, no qual se replica um modelo de negócio já existente.

Naturalmente, ambas as opções apresentam pontos positivos e negativos.

Em regra, investir num negócio novo exige um estudo de mercado mais aprofundado, buscando entender:

  • As características de consumo do comércio local, ou seja, qual a cultura onde está inserido;
  • Se existem microcomunidades ou microculturas em relação aos consumidores;
  • Qual a ideologia do mercado e quais os padrões sócio-econômicos do local.

Entretanto, isso demanda mais tempo e dinheiro, bem como aumenta o risco do empreendedor. Em contrapartida, um novo negócio confere ao empreendedor flexibilidade para se posicionar no mercado mais livremente.

Já investir numa franquia costuma apresentar como principal desvantagem o fato de estar “amarrado” à estratégia do franqueador. Contudo, se trata de um negócio mais seguro onde “a roda já foi inventada”, abrandando os riscos e exposição de seu tempo e dinheiro, pois o franqueador já têm domínio do mercado e sabe onde e como se posicionar.

Falando sobre franquias

Uma vez tomada a decisão para se tornar empreendedor no ramo das franquias, você deverá entender um pouco sobre o que se trata esta área, quais são os custos envolvidos e quais são as responsabilidades de cada parte (franqueador e franqueado). Este modelo de negócio pode ser empregado nos mais diversos setores da economia como em todas as dimensões de empresa, desde que seja replicável.

De modo geral, uma franquia é um negócio preexistente onde o franqueador (franchisador) concede ao franqueado (franchisado) o direito de usar seu nome e modelo de negócio em contrapartida de uma compensação financeira (royalties e/ou fee fixo). O franqueador geralmente força o franqueado a adotar um certo número de políticas operacionais que para manter um nível padrão de qualidade associado à sua marca.

Remuneração do franqueador

Como mencionado anteriormente, o formato de remuneração do franqueador pode ser baseado nos seguintes modelos (separadamente ou em conjunto):

1. Royalties, que serão um percentual sobre o faturamento do negócio;
2. Fee fixo, que é uma taxa fixa mensal que pode variar conforme faixas de faturamento;
3. Custo de publicidade, que geralmente é um percentual do faturamento do negócio (em regra, gerenciada de forma centralizada pelo franqueador).

Principais custos da franquia

Além da remuneração do franqueador, existirão os custos tradicionais das empresas que dependem do tamanho do negócio, bem como da área em que a mesma esteja empregada. Dentre as principais despesas, podemos elencar o custo de aluguel (arrendamento) do espaço, as contas de água, energia, gás e telecomunicações, mão de obra, custo de matéria-prima e serviços de apoio, capital de giro (fundo de maneio) e, finalmente, impostos.

Mas atenção! Adicionalmente, existem ainda outros custos que são destinados ao franqueador e ao negócio, e devem entrar na conta de rentabilidade deste investimento:

  • Direito de entrada – esta é uma taxa inicial que é paga diretamente ao franqueador referente ao direito de uso da marca e aos treinamentos e capacitações iniciais;
  • Investimento em obras, equipamentos e mobílias – apesar de presente num negócio próprio, no caso das franquias, o franqueador pode exigir a origem dos mesmos, podendo ser ele mesmo a fornecer (entrave da falta de liberdade);
  • Cauções – eventualmente podem ser solicitadas cauções pelo franqueador e pelo proprietário (o senhorio) do imóvel que será arrendado.

Por fim, deve ainda estar atento ao IVA (o Imposto sobre o Valor Acrescentado), que incide sobre o consumo de bens e serviços. Isto porque muitas vezes os valores de direito de entrada e investimento inicial são passados sem que o IVA esteja incluso, então é necessário dar atenção a este ponto para que não tenha surpresas no final, podendo ter um impacto de até 23% a mais em sua conta de investimento.

O franqueador muitas vezes omite este ponto de início não por má fé, mas porque considera que você conseguirá restituir o IVA através da compensação do mesmo, fruto da receita do início da operação do negócio. A grande questão é que você deverá contemplar este valor no desembolso inicial para posteriormente poder vir a ser reembolsado.

Saiba também como investir em imóveis em Portugal e ter rendimentos acima da média.

Qual a melhor opção de franquia?

Não há uma resposta geral e única para essa pergunta.

A decisão sobre a melhor opção de franquia deve ser não só baseada nos números apresentados pelo franqueador, como também na sintonia do negócio com o perfil do empreendedor. Não adianta querer abrir um negócio no ramo de estética se esta não é sua praia!

Deverá ainda avaliar as características do negócio tais como: necessidade de trabalho em equipe, tempo de dedicação, atendimento ao público, gestão de pessoas, etc. Importante verificar se estas características convergem com os seus objetivos e a sua disposição.

Busque explorar a experiência do franqueador fazendo questionamentos e tente agendar uma reunião com um franqueado da rede para que possa ter uma noção da realidade dos acontecimentos quanto ao atendimento e apoio do franqueador, quanto ao volume de negócios estimado e quanto às despesas previstas.

Adicionalmente, durante o processo de decisão, deverá ter em conta os seguintes aspectos que são apresentados pelo franqueador:

1. Um bom plano de negócios, bem fundamentado em experiências anteriores e com dimensões similares ao proposto;
2. Boa inteligência de mercado quanto ao posicionamento geográfico, fazendo análise de densidade populacional, raio de atuação e competidores;
3. Bom planejamento quanto ao treinamento seu (empresário do negócio) e sua equipe, assim como capacitações periódicas;
4. Boa estratégia de publicidade! Este ponto geralmente não é delegado ao franqueado, assim exija um bom retorno já que estará pagando por isso.

Sugerimos também que elabore uma tabela comparando os principais indicadores financeiros, nomeadamente:

  • Lucratividade do negócio – margem líquida de lucro;
  • Caixa livre anual (meios libertos) – capacidade de geração de caixa;
  • Valor Presente Líquido (VPL / NPV) – quanto o negócio estará valendo ao fim da operação (use uma mesma quantidade de anos para esta análise);
  • Pay-back – em quanto tempo o negócio terá se pago, isto é, em quantos anos teve de volta o valor que investiu inicialmente.

Golden Visa ou Visto D7? Veja qual dos dois vistos melhor se encaixa no seu perfil.

Franquias de Baixo Investimento em Portugal: uma boa opção

Esta é uma opção muito interessante não só para os empreendedores que não possuem alta disponibilidade de capital, mas também para aquelas pessoas que acabaram de chegar em Portugal e ainda não têm disposição ou têm receio de realizar grandes investimentos.

Ao contrário do que possa estar imaginando, apesar de o negócio potencialmente não trazer um alto valor de retorno mensal, geralmente as franquias que têm baixo valor de investimento têm excelentes indicadores financeiros, tais como:

  • Poderá apresentar uma boa margem líquida de lucro por se tratar de operações mais enxutas;
  • O valor que investiu inicialmente poderá retornar para si em um menor tempo do que comparado com as maiores operações, podendo ter o pay-back facilmente com até um ano e meio de operação;
  • Devido ao baixo valor investido e com grande potencial em ter um rápido pay-back, conseguirá estar multiplicando o valor que investiu constantemente.

Neste tipo de operação, por se tratar de uma operação enxuta, deverá ter cuidado com os custos fixos da operação, pois eles que estão sugando seu suor!

Portanto, tenha bastante atenção para que não tenha um grande valor de aluguel de espaço, não tenha consumos excessivos nas contas de básicas de energia, gás e água, cuidado com a quantidade de pessoas que estará contratando e com a produtividade delas, e por fim, atenção que nestes casos poderá ser adotada a remuneração do franqueador através do fee fixo.

É preciso acompanhar de perto e pôr a mão na massa

Em todo negócio devemos ter a filosofia que “o olho do dono que engorda a carne”.

Essa é umas das exigências do mercado de franquias, onde é imposto pelo franqueador que o franqueado acompanhe de perto o seu negócio. Mas quando falamos de franquias em Portugal de baixo valor de investimento, além do “olho do dono” será necessário que o franqueado ponha, literalmente, “a mão na massa”, não contratando gestores a mais e aumentando os custos com mão de obra.

franquias em Portugal de baixo investimento vending

Exemplos de franquias em Portugal com baixo valor de entrada

  • DS Crédito (5 mil €) – negócio com base na intermediação de crédito que presta, a particulares e empresas, um serviço de aconselhamento personalizado e independente em todo o tipo de operações de crédito bancário, aconselhando e apresentando as melhores e mais vantajosas soluções de financiamento, bem como as mais baixas prestações mensais para os seus créditos;
  • DS Seguros (5 mil €) – negócio com base na mediação de seguros que presta, a particulares e empresas, um serviço de aconselhamento personalizado e independente em todos os ramos e tipos de seguros;
  • Grab & Go (0 €) – conceito de lojas automáticas, abertas 24 horas por dia, em todos os dias do ano, oferecendo refeições e bebidas quentes, aperitivos e snacks, bebidas frias, chocolates e produtos não alimentares;
  • House 360 (4.500 €) – mediação e gestão de obras desde à construção de raiz, à uma reabilitação urbana ou uma simples remodelação, atuando na obtenção de vários orçamentos e até ao acompanhamento permanente da atividade e comportamento dos executores em obra;
  • Max Finance (1 mil €) – direcionada a particulares e empresas, presta um serviço de intermediação de crédito e seguros independente, com base na elevada experiência do mercado imobiliário do Grupo Remax.

Ficou interessado em franquias em Portugal de baixo investimento? Confira os próximos passos

Primeiramente, será necessária a constituição de uma empresa em Portugal. Não é preciso ser nacional e nem residente legal em Portugal para este efeito, em regra bastando que os sócios sejam detentores de um NIF (equivalente ao CPF brasileiro) e que contratem um contador (contabilista) para a sociedade.

Com a empresa constituída, será possível firmar o contrato com o franqueador escolhido. Conforme referimos acima, tenha sempre em atenção não apenas os números apresentados pelos franqueadores, como também a sintonia do negócio com o seu perfil.

Para escolha e contratação de um franqueador, também poderá contar com a ajuda de empresas e/ou profissionais especializadas que poderão te assessorar em todo processo, desde a busca por empresas em que seu perfil se enquadre, até a negociação final dos termos de contrato, garantindo maior segurança, agilidade e comodidade.

Por fim, ressaltamos que caso ainda não tenha Visto para que possa residir em Portugal legalmente, este processo de contratação de franquia também te possibilitará (para você e seus sócios) o direito à solicitação do Visto D2 destinados a imigrantes empreendedores.

Agora que você já sabe como é o processo para abrir uma franquia em Portugal de baixo investimento, se precisar de ajuda qualificada, não deixe de nos contactar na Atlantic Bridge.

Artigo publicado no site Euro Dicas: https://www.eurodicas.com.br/franquias-em-portugal-de-baixo-investimento/

Autor: Pedro Pessoa
Empresarial

Como investir em imóveis em Portugal e ter rendimentos acima da média

By | Artigos, Imobiliário, Investimentos | No Comments

Tem investido em CDB em banco brasileiro? Confere o rendimento do último ano. Ele está minguando, não é? E a tendência é só piorar. Investir em renda fixa não garante mais o futuro de ninguém. Receber juros líquidos, depois da mordida dos impostos, de 5% ao ano com 4% de inflação significa na verdade ganhar míseros 1% ao ano em termos reais. Seriam necessários 69 anos para dobrar o capital! Uma das soluções é investir em imóveis em Portugal, pois rende muito mais que o velho CDB (Certificado de Depósito Bancário), mais que imóveis no Brasil e mais que em qualquer país da Europa Ocidental.

Saiba abaixo como investir no mercado imobiliário português, os melhores setores de investimento, como calcular gastos e lucros e se vale a pena. Caso queira falar com um especialista clique aqui.

Investir em imóveis em Portugal: um mercado imobiliário rentável

É possível conseguir os tão desejados e agora saudosos 1% ao mês ao investir em imóveis em Portugal. Não é todo dia, mas é factível. Exige um pouco de procura e seleção e decisões sensatas. Há de considerar a valorização expressiva dos imóveis cujos dividendos não param de crescer, porque as receitas principalmente de turismo também continuam em ritmo ascendente.

Portugal é um mercado com liquidez

Não há nada mais satisfatório do que investir em um mercado com liquidez e preços ascendentes como o de Portugal de hoje. Entre as diversas razões para este sucesso destacamos segurança, hospitalidade, clima, impostos, oferta turística diversificada e custos baixos.

Encontre um país que reúne esses seis pontos fortes e terá a GARANTIA de um mercado imobiliário sólido e ativo. Os turistas precisarão de camas para dormir e os imigrantes de casas para morar. Os moradores locais ganham mais e também compram mais imóveis. Simples assim.

A proposta de valor de Portugal, ou seja, a relação entre o quanto o país entrega e aquilo que cobra, é uma das melhores do mundo. É um posicionamento competitivo de alto nível.

como investir em imóveis em Portugal aluguel

Fonte: Atlantic Bridge / Fipezap / Global Properties

Não é à toa que os preços dos imóveis reagiram com força. Segundo o Instituto Nacional de Estatística, os centros históricos de Lisboa e Porto valorizaram 72% desde 2016.

Então é melhor comprar casa em Portugal no Algarve, Lisboa ou Porto? Eu explico tudo nesse artigo, confira.

Precisa de Ajuda? Clique Aqui Para Falar Conosco >

Programas de incentivo para investir em imóveis em Portugal

Tanto o programa de Golden Visa como o de residente não-habitual vem atraindo muitos investidores e profissionais de alta renda para o pais. Após 5 anos de investimento é possível, ainda, solicitar a cidadania portuguesa.

Como investir em imóveis em Portugal? Veja as melhores opções

1. Imóveis para turistas (alojamento local)

Com receitas crescendo 70% desde 2011, o turismo já compõe 10% do PIB português, sendo uma grande fonte de receitas para negócios imobiliários. A ocupação média dos imóveis destinados ao aluguel de curto prazo (alojamento local) nos principais centros de turismo é de 78% para diárias médias de 127 euros em Lisboa e 105 euros no Porto, segundo o INE.

O aluguel se concretiza através dos market places (plataformas) como AirBnB e Booking que cobram comissão entre 3% a 15%. O gerenciamento do imóvel pode ser totalmente terceirizado com uma equipe que cuide desde definição de preços até a lavagem dos lençóis, que irá cobrar entre 20% e 30% das receitas.

Os custos adicionais são de consumo (água, eletricidade e gás), tv e internet, IMI (similar ao IPTU), condomínio, seguros e manutenção. O imposto de renda é cobrado em sistema similar ao lucro presumido brasileiro, quando a exploração é através de pessoas físicas.

Rentabilidade de Exemplo RealAnual
Diária75€
Ocupação80%
Receita mensal de alojamento1.800€
(+) Taxa de limpeza e outras despesas108€
Faturamento mensal1.908
(-) Consumo (água, luz, gás, condomínio, IMI, seguro, internet, TV)– 209€
(-) Manutenção41€
(-) Comissão Plataforma-153€
(-) Gerenciamento, Limpeza, Lavagem-477€
(-) Impostos-167€
(=) Lucro861€
Aquisição Imóvel155 mil €
Retorno bruto % ao ano15%
Retorno líquido % ao ano7%

O potencial de retorno do investimento deve ser gerenciado levando em conta quatro decisões principais: localização, gerenciamento, tributação e estado inicial do imóvel.

Cada cidade, bairro e rua tem uma relação diferente entre diária e ocupação esperada e o preço de aquisição do imóvel. Por exemplo, imóveis em Lisboa são 80% mais caro que o Porto, contudo a diária média é apenas 20% mais cara.

imóveis Portugal

Fonte: Atlantic Bridge / Fipezap / Global Properties

As mesmas diferenças podem ser verificadas entre bairros e ruas de uma mesma cidade, cabendo ao investidor tomar as melhores escolhas.
O gerenciamento de um imóvel por terceiros custa em média 25%, tornando a decisão de gestão própria extremamente vantajosa, abrindo possibilidade de um retorno ainda maior.

Imóveis por reformar podem ser boas oportunidades

Em relação à tributação, imóveis localizados dentro das áreas de reabilitação urbana (ARUs) tem imposto de renda cerca de 40% menor.
Por último, investir em um imóvel que necessitam de reformas, fará com que o preço de aquisição reduza e acabe por ajudar no retorno total do investimento.

Conheça os 12 obstáculos a ultrapassar para comprar casa em Portugal.

2. Imóveis para estudantes

Apenas 12% dos 113.813 alunos que estudam longe de casa são atendidos por alojamentos do governo em Portugal, o resto tem que se virar em um mercado onde não há nova oferta suficiente.

A equação é simples de entender. Mesmo que toda nova construção residencial, turística e estudantil fosse direcionada exclusivamente ao mercado de estudantes, ainda não seria suficiente. Só no Porto e só no mercado estudantil foram 3 mil novos alunos no último ano para um total de construção de 2.200 unidades.

O mercado de estudantes é extremamente resiliente. A educação não pode esperar. Os pais fazem de tudo para ter a melhor opção que o bolso permitir. O tamanho do mercado estudantil nunca baixou do patamar alcançado após a entrada do país na União Europeia.

O market place de referência é o Uniplaces que cobra uma comissão de 8%. O gerenciamento do imóvel é mais simples, pois não há demandas diárias de hóspedes e a cobrança irá ficar entre 10% e 15% das receitas.

As despesas de água, eletricidade, gás podem ser por conta do inquilino, restando o pagamento de internet, IMI (similar ao IPTU), condomínio, seguros e manutenção. O imposto de renda é uma taxa única de 28% sobre as receitas menos algumas despesas dedutíveis, quando a exploração é através de pessoas físicas.

Exemplo real de alojamento estudantilValores
Aluguel por quarto375€
Quartos5
Aluguel mensal1.875€
(-) Condomínio, IMI, Seguros, Internet, TV, Manutenção– 150€
(-) Comissão plataforma– 150€
(-) Gerenciamento– 188€
(-) Impostos– 394€
Lucro994€
Investimento200 mil €
Retorno bruto ao ano11%
Retorno líquido ao ano6%

3. Imóveis residenciais para aluguel

Com a grande demanda de investidores e estrangeiros e muitos anos sem lançamentos de novos imóveis, Portugal vive a tempestade perfeita para quem procura um imóvel para alugar nos grandes centros, como Porto, Lisboa e Algarve.

Embora a procura por aluguel residencial não seja explosiva, encontra oferta praticamente inexistente. Um imóvel é muitas vezes alugado no mesmo dia que é anunciado.

Os market places são os tradicionais como Imovirtual, Idealista e OLX que são de graça.

O gerenciamento do imóvel é o mais simples de todos e cobra 10% das receitas. As despesas de água, eletricidade, gás são por conta do inquilino, restando o pagamento de internet, IMI (similar ao IPTU), condomínio, seguros e manutenção. O imposto de renda é uma taxa única de 28% sobre as receitas menos algumas despesas dedutíveis, quando a exploração é através de pessoas físicas.

Exemplo real de aluguel residencialValores
Aluguel mensal750€
(-) Condomínio, IMI, Seguros, Manutenção-110€
(-) Gerenciamento-75€
(-) Impostos-41€
(=) Lucro 525€
Investimento200 mil €
Retorno bruto ao ano5%
Retorno líquido ao ao3%

4. Outras opções

Há ainda outras opções de investimento são hotéis, escritórios, imóveis comerciais (lojas e grandes comércios).

Quer saber mais informações sobre quanto custa uma casa em Portugal? Leia esse artigo.

Ganhos na valorização para investir em Imóveis em Portugal

A mais simples estratégia para aproveitar um mercado vigoroso é comprar um imóvelem Portugal e esperar pela valorização. É um negócio de baixa complexidade e que alta probabilidade de sucesso no momento atual do mercado imobiliário português.

Imóveis na planta

A compra um imóvel na planta embute a valorização decorrente da regra básica de que quanto mais perto da entrega, mais valioso será um imóvel.

A diferença de preço entre um terreno vazio e um imóvel pronto e operando fica entre 25% a 60% em Portugal. Em um mercado aquecido, um projeto de qualidade precificado de forma justa para compra na planta terá um potencial de valorização entre 10% e 25% na entrega.

A vantagem é que o investidor pode parcelar o pagamento e pagar somente 50% do imóvel para ter acesso a 100% da valorização. É uma forma de alavancagem dos resultados.

Reforma e construção

A perspectiva de retorno fica ainda mais interessante quando o investidor se propõe a encarar a obra. Seja um incorporador na Europa, compre prédios e terrenos, aprove projetos, toque a construção e venda e capture um valor ainda maior.

É uma atividade mais exigente em termos de capital e expertise, porém com resultados fantásticos em moeda forte.

Comprar um terreno ou prédio para reformar dará margens da ordem de 15% a 30%, o que por si só já é muito bom. Para tornar o resultado ainda mais atrativo, é perfeitamente possível obter um financiamento de até 100% da construção, muito embora os bancos geralmente não financiam o investimento no terreno, proporcionando retornos acima de 100%.

Financiamento

Os bancos portugueses têm uma imensa familiaridade com clientes estrangeiros. O procedimento para abrir contas é extremamente simples e a concessão de financiamento de imóveis em Portugal a não-residentes é muito comum.

A concorrência entre os bancos é intensa, então vale à pena verificar qual banco está oferecendo as melhores condições para o seu caso em especial.

Os custos geralmente incluem a taxa básica, conhecida como Euribor – equivalente à Selic, uma taxa de juros adicional, conhecido como spread, mais os custos de seguro de vida e do imóvel e taxas administrativas. Na contratação ainda incluem taxas de avaliação do imóvel e do crédito.

O percentual financiado varia de 60% a 90% do valor de aquisição do imóvel, dependendo do perfil de crédito, do uso do imóvel – investimento, primeira, segunda ou terceira moradia, local de residência e do valor da avaliação do imóvel.

O brasileiro não-residente pode contar com financiamento de 60% a 70% da aquisição com spreads da ordem de 1,5% ao ano e prazo máximo de 30 anos nas condições atuais de mercado.

Com custos tão baixos é um ótimo negócio financiar o investimento imobiliário em Portugal. É uma forma recomendada de aumentar o retorno do capital empregado. Um imóvel que tenha um retorno líquido sobre o valor do imóvel de 7%, em 70% com juros de 1,5% ano, elevaria o retorno do capital investido para 15% ao ano, um número invejável em qualquer local do mundo.

Retorno ao investir em imóveis em Portugal, é bom?

É claro que é bom. É melhor do que as aplicações no velho CDB, é melhor que investir um apartamento para alugar no Brasil, é melhor do que investir nos principais países da Europa e tem oportunidade para obter 1% ao mês ou mais sobre o capital investido.

E é seguro. O turismo que impulsionou o imobiliário português, veio para ficar. Portugal teve uma mudança de paradigma e continuará havendo o interesse por um país que é seguro, interessante e barato. Portanto, vale a pena investir em imóveis em Portugal.

Entretanto, é preciso entender de mercado imobiliário e também de investimentos no exterior. Se você não tiver experiência, recomendamos que você faça tudo com a orientação de um consultor. A nossa empresa tem ajudado muitos brasileiros a realizar investimentos em Portugal. Faça sua cotação do serviço sem compromissos. Clique aqui para maiores informações e detalhes entre em contato conosco. 

Confira também um guia passo a passo para comprar imóvel em Portugal.

Autor: Marcio Fenelon
Investimento Imobiliário