Category

Portugal

Vinhos Portugueses: Conheça o Top 10 em 2022!

By | Artigos, Portugal

Quais os melhores vinhos de 2022? A escolha não é tarefa fácil, embora seja um bocado prazerosa para quem a executa. Para fazer esta seleção, 40 especialistas de diversos países do mundo realizaram provas cegas (sem o conhecimento prévio dos vinhos) de 60 amostras diferentes. Amostras estas que, por sua vez, foram selecionadas num universo muito mais amplo. Ao longo dos últimos meses, os provadores da Revista de Vinhos experimentaram cerca de mil rótulos diferentes, provenientes de todas as regiões de Portugal. Brancos, Tintos, Espumantes e até mesmo os Fortificados (como o vinho Madeira e o Porto) estiveram no páreo. Líderes de opinião, jornalistas, críticos e sommeliers de países como Portugal, Espanha, Dinamarca, Inglaterra, Itália, Suíça, Estados Unidos e Brasil, num total de 40 especialistas, fizeram a derradeira seleção do TOP 10 Vinhos Portugueses. A prova aconteceu no Porto, durante o Essência do Vinho, maior evento vínico do Norte e um dos maiores do país. A lista dos campeões nós trazemos aqui abaixo.

Desta vez, dois vinhos brancos, seis vinhos tintos e dois fortificados são os sublinhados da competição. O trio de grandes vencedores tem terroirs bem diferenciados: Alentejo, Dão e Porto.

Best wines 2022

Nº 1 TINTOS: Estremus 2017, elaborado por João Portugal Ramos em Estremoz. Na base tem um vinhedo de apenas 1,5 hectares, que representa somente 6% do total da vinha que envolve o Castelo de Estremoz, a mais emblemática do produtor. O Estremus é um lote, em partes iguais, das castas Alicante Bouschet e Trincadeira, tendo sido engarrafados 1.953 exemplares. Preço médio: 125€

Nº 1 BRANCOS: Quinta dos Carvalhais Branco Especial, produzido pela Sogrape no Dão. Nesta quinta edição trata-se de um blend que alia vinhos de sete colheitas: 2006, 2010, 2013, 2014, 2015, 2016 e 2020. Tem autoria da enóloga Beatriz Cabral de Almeida e possui castas como Encruzado (48%), Gouveio (24%), Sémillon (9%) e outras variedades (19%). Preço médio: 50€

Nº 1 FORTIFICADOS: Real Companhia Velha Very Old Tawny 1927, um vinho do Porto muito velho do espólio da Quinta das Carvalhas, que integra uma coleção especial para celebrar os 265 da empresa, juntamente com os Portos de 1900 e de 1908. Preço médio: 2.500€ (trata-se de um vinho raro e muito difícil de encontrar no mercado, sendo vendido em uma caixa comemorativa, com mais duas garrafas; uma de 1.900 e outra de 1.908.

O restante TOP 10 Vinhos Portugueses é constituído por: 

  • Rosa Santos Família 2017 (2º vinho tinto, Regional Alentejano, Jorge Rosa Santos & Filhos). Preço médio: 52€; 
  • Quinta da Boavista Vinha do Ujo 2017 (3º vinho tinto, Douro, Sogevinus Fine Wines). Preço médio: 1200€;
  • Júpiter Code 01 2015 (4º vinho tinto, Regional Alentejano, Rocim). Preço médio: 1.000€; 
  • Uivo Cronológico 2011 (5º vinho tinto, IVV, Folias de Baco). Preço médio: 20€;
  • Pape 2018 (6º vinho tinto, Dão, Quinta da Pellada). Preço médio: 34€;
  • Quinta do Regueiro Alvarinho Jurássico II (2º vinho branco, Vinhos Verdes – Monção e Melgaço, Quinta do Regueiro). Preço médio: 45€;
  • Barbeito Famílias Meio Doce 50 Anos (2º vinho fortificado, Vinho Madeira, Vinhos Barbeito). Preço médio: 620€.

Feiras do Vinho de Portugal em 2022

By | Artigos, Portugal

As restrições impostas pela pandemia de Covid-19 vão, pouco a pouco, ficando para trás e a vida vai regressando aos trilhos. Parece que foi há muito tempo que pudemos desfrutar de eventos culturais voltados para um grande público. Por isso, nada mais justo que aproveitar as oportunidades que 2022 nos oferecerá. E em Portugal essas oportunidades pretendem ser muitas – ainda que usando máscara a maior parte do tempo!
Sempre cruzando os dedos para que tudo corra bem até lá, decidimos inaugurar a nossa editoria Portugal Lovers* com um assunto delicioso: vinhos!! Afinal, Portugal é um dos países que mais entende desse tema. Também oferece o que há de melhor em eventos na área. De norte a sul do país, os apreciadores de um bom vinho terão muitas opções de feiras e festivais vínicos para escolher. Nós selecionamos alguns, vamos a isso?

Quais as festas do vinho já confirmadas em 2022?

 

Essência do Vinho | Palacio da Bolsa

Essência do Vinho | Palácio da Bolsa – divulgação

Essência do Vinho

É já no final de março que o Palácio da Bolsa, espaço icônico da cidade do Porto, recebe uma das mais importantes feiras de vinho do país: Essência do Vinho. Esse evento se destaca pela sua monumentalidade: recebe todos anos cerca de 20 mil visitantes e mais de 400 produtores dos mais variados estilos de vinho (incluindo o vinho do Porto). Aqui, curiosos e amantes do vinho, especialistas e convidados internacionais se encontram para conhecer as novas safras através de apresentações técnicas e, claro, através de degustação. Ao adquirir o bilhete para o evento (25€), o visitante recebe um copo e pode experimentar mais de 4 mil vinhos expostos para provas. Em 4 dias de evento, são abertas mais de 15 mil garrafas, num misto de aprendizagem, didatismo e experimentação. O Essência do Vinho também oferece uma série de provas comentadas, masterclasses e harmonizações, em sessões que começam desde as 9h30 da manhã!
Em 2022, o Essência do Vinho acontece de 31 de março a 3 de abril. Entre uma prova e outra de vinho, recomendamos fortemente que contemple os belos salões do Palácio da Bolsa, edifício neoclássico do século XIX. Dê uma atenção especial ao Salão Árabe, espaço decorado com arabescos de ouro. 

Festa do Alvarinho e Fumeiro de Melgaço

Alvarinho é uma uva tipicamente portuguesa produzida na sub-região de Monção e Melgaço, na Região dos Vinhos Verdes. É uma das castas brancas mais notáveis e apreciadas no país. Tem baixa produção, pois seus cachos são pequenos. Possui alto teor de açúcar, o que resulta em vinhos mais alcoólicos e de acidez alta, além de extremamente perfumados, com notas de pêssego, limão, maracujá, lichia, casca de laranja, jasmim, flor de laranjeira e erva-cidreira. Além disso, esses vinhos têm um bom potencial de envelhecimento, conseguindo viver em perfeita saúde até completar, pelo menos, dez anos de idade. São essas características que o diferenciam dos vinhos verdes comuns.
Por isso, um evento que reúne os maiores produtores dessa maravilha merece todo o nosso interesse! Anote na sua agenda: dias 22, 23 e 24 de abril a Festa do Alvarinho e do Fumeiro regressa a Melgaço para a sua 26ª edição. São esperados vários produtores da casta Alvarinho e também de fumeiro e produtos locais.
A  Festa do Alvarinho e do Fumeiro de Melgaço (FAFM) começou a ser realizada em 1995 e hoje é o maior evento turístico da região, atraindo pessoas dos diversos pontos do território nacional e também um grande número de espanhóis, sobretudo da vizinha Galiza, onde se produz um vinho bem semelhante: o Albariño.

Aqui na Bairrada

A Bairrada é uma região vinícola portuguesa situada na província da Beira Litoral e região do Centro (Região das Beiras), que se estende entre Águeda e Coimbra até às dunas do litoral Atlântico. É terra de muitos e bons vinhos, feitos com castas de alta qualidade, como são os casos da Baga, nos vinhos tintos, e da Bical, nos brancos. No século XIX a Bairrada se transformou numa região produtora de vinhos de qualidade, embora a produção de vinho exista desde o século X. A certificação da região é recente. A Denominação de Origem Controlada (DOC Bairrada) para vinhos tintos e brancos é de 1979 e para espumantes de 1991. Foi com os espumantes que a região conquistou o mundo. Frutados, com um toque mineral e boa estrutura esses vinhos tornaram-se referências e, até hoje, fazem da Bairrada uma das maiores regiões produtoras de espumantes de Portugal.
Para celebrar os espumantes, a gastronomia e a cultura bairradina, foi criado em 2019 o evento “Aqui na Bairrada”, que ficou suspenso durante a pandemia. Agora, a iniciativa volta a decorrer a 7 e 8 de maio, no Pavilhão de Desportos de Anadia. A entrada é livre, mas para provar os vinhos e espumantes é preciso adquirir o copo oficial da Bairrada (3 euros), que deve ser devolvido ao final do evento. Além dos espumantes, destacam-se no evento as iguarias preparadas com leitão, que é outro rei da festa, além do famoso pão da Mealhada e de outras iguarias, inclusive doces. O evento também terá provas comentadas e vinhos mais exclusivos, apresentando aos seus visitantes o grande potencial existente na região.

Vinhos & Sabores | Lisboa

Vinhos & Sabores | Lisboa – divulgação

Vinho & Sabores

A revista especializada Grandes Escolhas é a responsável pela realização de um dos maiores eventos vínicos do país: Vinhos & Sabores. Os números impressionam: são mais de 15 mil visitantes, 230 stands de vendas e 400 expositores espalhados por uma área de 5.000 m2.
A próxima edição já está agendada: vai ser 8 a 10 de outubro, na Feira Internacional de Lisboa, no Parque das Nações. No ano passado, em plena pandemia, o evento foi realizado em uma versão mais compacta e repleta de restrições. Em 2022, os organizadores esperam poder contar com uma lotação completa, apesar do uso de máscaras ainda ser obrigatório, dentro do possível.
O evento está voltado para produtores, vendedores e consumidores finais, que poderão provar todos os vinhos que quiserem. O ingresso, como de costume, dá direito a um copo de degustação. O valor cobrado é de 10€ para um dia de evento ou 20€ para os dois. O terceiro dia de evento, uma segunda-feira, está reservado para profissionais e jornalistas. O Vinhos & Sabores também conta com stands de comida, com queijos, sandes de leitão e enchidos variados. O programa, rico em atividades, dispõe ainda de provas comentadas e showcookings com chefs convidados.
Essas são apenas 4 das muitas feiras vínicas que acontecem em Portugal todos os anos. O país conta com centenas de eventos em diferentes estilos e formatos, voltados tanto para os consumidores mais leigos quanto para profissionais extremamente especializados. Alguns muito restritos, como as premiações ( a exemplo do evento Melhores Verdes 2022, que acontece em abril), harmonizações especiais, jantares vínicos (o Hotel Yetman costuma organizar uns muito bons)… Outros eventos são mesmo gigantes, agregam música e são verdadeiros festivais (é o caso do Wine & Music Valley). Se é um grande apreciador de vinhos, Portugal é o seu lugar!


Portugal Lovers*
é uma editoria especial da Atlantic Bridge que tem como missão integrar os nossos clientes, amigos e parceiros em torno do que Portugal tem de melhor para oferecer.

Ajude a Ucrânia: Doe Agora Para Salvar Vidas

By | Artigos, Portugal

Portugal não está indiferente ao que se passa na Ucrânia e a sociedade civil está a contribuir de todas as maneiras possíveis. As manifestações em defesa da Ucrânia e em protesto contra o Governo Russo têm sido diárias no país. Muitas delas têm acontecido em frente à Embaixada da Rússia, em Lisboa, e do Consulado Russo, no Porto.
Os pontos de coleta de bens essenciais estão espalhados por todo país. Em cada cidade, centenas de pessoas se reúnem todos os dias para ajudar os refugiados, recolher e organizando doações e encontrando meios de fazer chegar aos que precisam. Uma grande corrente de solidariedade se formou em Portugal. Você também pode ajudar.

Oferecer emprego

Portugal for Ukraine é uma iniciativa do Governo para apoiar os cidadãos da Ucrânia que pretendem, por razões de conflito armado e humanitárias, residir em território nacional. Através do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), as empresas podem manifestar a intenção de recrutar cidadãos ucranianos.  Basta preencher este formulário.

Fazer transporte e acolhimento de refugiados

 A plataforma wehelpukraine.org, criada por um professor português que ensina em Londres, tem sido o ponto de convergência digital de maior parte da ajuda oferecida por portugueses. Através dela, é possível acolher famílias e ajudar no transporte destas até Portugal.

Ser voluntário em plataformas de apoio conjunto

Nos últimos dias foram criadas inúmeras plataformas digitais para conectar quem quer ajudar com quem precisa ser ajudado. Veja aqui algumas delas:
Prykhystok – plataforma para oferecer/buscar alojamento. Também fornece ajuda para os que não conseguiram abandonar o território ucraniano.
First Contact  – reune informações atualizadas sobre como sair da Ucrânia, territórios ocupados e dados sobre as fronteiras. Também informa como pedir ajuda a países vizinho e ajudar no transporte de refugiados…  Também divulga o endereço de  grupos humanitários que apoiam os ucranianos.
Ukraine Now – através deste website é possível oferecer ajuda de qualquer tipo. Basta dizer quais as suas habilidades ou profissão e uma equipe irá lhe encaminhar para o setor onde poderá ser mais útil.

Doar dinheiro 

A Unicef  está recolhendo doações em dinheiro para auxiliar no transporte de água e mantimentos, cuidados médicos e formação psicossocial aos profissionais que estão a lidar diretamente com as vítimas dos conflitos. A organização conta atualmente com mais de  140 membros espalhados por várias regiões da Ucrânia a proporcionar ajuda humanitária, dia e noite, especialmente às crianças.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha tem recolhido donativos através do site: https://www.icrc.org/en/donate/ukraine

A Universidade de Coimbra -UC- uniu forças com a Universidade de Iasi, cidade do nordeste da Roménia (a cerca de 160 km da fronteira com a Ucrânia). Está recebendo donativos financeiros através desta conta conjunta:
IBAN RO76BRDE240SV78361832400
Beneficiário: Fundația Alumni – Universitatea Alexandru Ioan Cuza din Iasi;
Código de Identificação Fiscal: 21591880;
Banco: BRD – Groupe Société Générale;
SWIFT: BRDEROBU; BIC: BRDE

A UC também formou parceria com a Embaixada da Moldávia localizada em Portugal. A Moldávia partilha cerca de 900 km de fronteira com o sudoeste ucraniano, está ajudando os refugiados. Os donativos em EUR podem ser realizados para:
IBAN MD14NBPBBP144121A01344QI
Beneficiário: Ministry of Finance of the Republic of Moldova – State Treasury;
Código de beneficiário fiscal 1006601000037;
Banco: National Bank of Moldova;
SWIFT: NBMDMD2X

A organização não governamental e sem fins lucrativos People in Need está baseada na iniciativa de centenas de voluntários, tanto na República Checa como em dezenas de outros países. Para ajudar, acesse o site: https://www.peopleinneed.net/

O Banco Nacional da Ucrânia decidiu abrir uma conta especial para angariar fundos em apoio às Forças Armadas da Ucrânia. Para inscrever fundos em EUR:
Código SWIFT NBU: NBUA KILL UX\n
BANCO FEDERAL DO ALEMÃO, Frankfurt
Código SWIFT: MARKDEFF
Conta: 5040040066
IBAN DE05504000005040040066
Wilhelm-Epsteinn-Strabe 14, 60431 Frankfurt Am Main, Alemanha
Crédito em conta UA8430000100000047330992708

Dar ajuda jurídica

Os advogados também podem oferecer apoio aos refugiados. É possível ajudar com aconselhamento jurídico para a entrada e permanência em Portugal, além de certificação de documentos, autorizações para menores, entre outros.
Caso pretenda voluntariar-se para prestar esse serviço “pro bono” e integrar a presente lista deve contactar a Ordem dos Advogados através do endereço cons.geral@cg.oa.pt .

Doar bens essenciais

Qualquer pessoa pode ajudar doando bens essenciais. A relação de itens necessários é grande. Quem quiser fazer doações deve consultar as associações para perceber as necessidades em cada uma delas. Medicamentos, produtos de higiene e alimentos são a prioridade.

Onde Entregar Doações

A coleta está sendo feita em centenas de pontos de apoio, como escolas, igrejas, centros comunitários, associações e também empresas. A Embaixada da Ucrânia na República Portuguesa tem divulgado diariamente em sua página do Facebook como a comunidade pode ajudar. O Consulado da Ucrânia no Porto também tem feito essa comunicação através de suas redes sociais. Reunimos outros postos de coleta:

Viseu

Quem: Câmara Municipal de Viseu juntamente com o Instituto Politécnico de Viseu (IPV), a Associação Viriatos.14 e a Associação dos Ucranianos de Viseu.
O quê: medicamentos e artigos medicinais (como compressas), alimentos não perecíveis, roupa de criança, mantas e artigos de higiene pessoal.
Onde entregar: Loja Solidária do IPV de segunda a sexta-feira.

Braga

Quem: Projecto Braga SOS Ucrânia foram criados vários os pontos de recolha.
O quê: Artigos de saúde, bens para criança (como por exemplo toalhitas e leite em pó), produtos de higiene e roupa térmica.
Onde entregar: Na sua página do Instagram estão disponíveis todos os locais, horas e dias em que as recolhas terão lugar. O contacto é o 91 289 58 60. 

Porto

Quem: Igreja Ortodoxa São Pantaleão
O quê: fraldas, comida para bebé, enlatados e medicamentos.
Onde entregar: A recolha decorre diariamente das 17h às 20h e o contacto disponibilizado é o 96 152 66 46.

Quem: Juntas de Freguesia do Porto
O quê:  roupa quente, calçado, bens alimentares não perecíveis, medicamentos e produtos de higiene.
Onde: sedes das juntas de freguesia. 

Matosinhos

Quem: Associação das Colectividades do Concelho de Matosinhos
O quê: roupas, medicamentos, ligaduras e cobertores
Onde entregar: edifícios das juntas de freguesia envolvidas, Senhora da Hora/São Mamede, Matosinhos/Leça da Palmeira e na sede da própria associação.

Quem: Associação Amizade – Imigrantes de Gondomar
O quê: medicamentos, kits de primeiros socorros, bens alimentares enlatados e produtos de higiene pessoal para adultos e bebés.
Onde entregar: na própria associação (instalada na cave do edifício da Junta de Freguesia de Rio Tinto) ou na Junta de Freguesia de Ermesinde. Na primeira, as entregas decorrem de segunda a sexta, das 9h às 12h e, na segunda, das 9h às 12h e das 14h às 17h, também durante a semana.

Póvoa de Varzim

Quem: Oksana Maia, ucraniana radicada na Póvoa de Varzim
O quê: como luvas, compressas, antissépticos, ligaduras, canadianas e xaropes para crianças), pilhas, lanternas, garrafas e roupa térmica, fraldas, barras energéticas, conservas, pensos higiénicos, entre outros.
Onde entregar: armazém do Lions Clube, na Zona Industrial de Amorim. Pedem-se medicamentos, material médico.

Vila Nova de Gaia

Quem: Seminário Cristo Rei
O quê: garrafas de água, colchões (yoga mat), kits de primeiros socorros e dinheiro. Não estão a receber, temporariamente, roupa nem alimentos para bebés e crianças.
Onde entregar: Visconde das Devesas,  684, diariamente das 9h às 21h.

Leiria

Quem: Câmara Municipal de Leiria
O quê: produtos de higiene (de higiene pessoal, desinfectantes, fraldas…), roupa térmica, medicamentos e kits de primeiros socorros, lanternas, rádios, powerbanks e pilhas.
Onde entregar: nas Juntas e Uniões de Freguesia do concelho, nos quartéis de bombeiros de Leiria, Maceira, Ortigosa e Monte Redondo e também no Estádio Municipal de Leiria a partir da passada segunda-feira entre as 17h e as 22h.

Batalha

Quem: Comunidade Ortodoxa Ucraniana de Leiria
O quê: bens alimentares.
Onde entregar: no Centro Paroquial da Batalha durante os dias de semana das 18h30 às 20h30 e ao fim-de-semana das 9h às 12h e das 16h às 20h.

Fundão

Quem: Município de Fundão, no distrito de Castelo Branco
O quê: bens solicitados são: cobertores, roupa, bens alimentares não perecíveis, leite em pó, fraldas e medicamentos.
Onde entregar: Centro das Migrações do Fundão (Seminário do Fundão), entre as 8h e as 20h.

Lisboa

Quem: Junta de Freguesia da Ajuda
O quê: alimentos não perecíveis, produtos de higiene pessoal e agasalhos.
Onde entregar: Pavilhão Multiusos da Ajuda, ao lado do Pingo doce.

Almada

Quem: Câmara Municipal de Almada, em parceria com as Juntas de Freguesia,
Onde entregar: os pontos de recolha são atualizados no site da câmara e localizam-se em Vale Figueira Parque, Charneca de Caparica, Sobreda de Caparica, Freguesia da Costa de Caparica, União de Freguesias Caparica/Trafaria, União de Freguesias Almada/Pragal/Cova da Piedade/ Cacilhas e União de Freguesias Laranjeiro/Feijó.

Setúbal

Quem: Associação Anjos de Misericórdia
O quê: medicamentos, comida, sacos cama e kits de primeiros socorros.
Onde entregar: combinar através dos contactos 92 022 24 31 e 93 053 37 52

Faro

Quem: Associação dos Ucranianos no Algarve
O quê: medicamentos e produtos médicos (como desinfectantes e cremes cicatrizantes), medicação do dia a dia (cardíaca, gástrica, renal…), alimentos com grandes prazos de validade, produtos de higiene e bens domésticos (como lanternas, roupa interior térmica, meias, esteiras).
Onde entregar: os pontos de recolha são atualizados diariamente na página do facebook da associação. Mais contactos disponíveis: 96 716 72 57 e 96 977 35 92.​

Açores

Quem: Associação de Ténis dos Açores em Ponta Delgada
O quê: Bens essenciais
Onde: no local

Como Estamos a Acolher os Refugiados Ucranianos em Portugal

By | Artigos, Portugal

O povo português é famoso por ser acolhedor e respeitoso com as diferentes culturas. É  também um povo solidário, como já se comprovou em situações de emergência do passado, como na tragédia provocada pelo ciclone Idai, em Moçambique. Ou no apoio a refugiados afegãos. Ou ainda em tragédias nacionais, como os incêndios florestais em Pedrógão Grande. No caso da invasão russa na Ucrânia, a situação não poderia ser diferente. O governo e a sociedade civil se uniram no sentido de fornecer todo apoio necessário aos ucranianos. Para além das medidas internas, Portugal também integra a plataforma WeHelpUkraine.org,  criada por um professor português que vive em Londres. O site é um ponto de encontro entre quem precisa de alojamento, medicamentos ou ofertas de trabalho, com quem está disponível para dar essas ajudas. O país também está a preparar uma série de medidas integradas para dar resposta às necessidades dos milhares de ucranianos que têm fugido do seu país. 

Simplificação de Leis de Acesso ao País

O Governo está a agilizar a entrada e a integração de ucranianos que pedem asilo a Portugal. Recentemente aprovou medidas para essa população. O Governo anunciou também que não estabeleceu limites para receber quem quer sair da Ucrânia. Mais de 2.500 cidadãos ucranianos já pediram asilo a Portugal para fugir da guerra. O procedimento simplificado é similar ao que já havia sido usado em 1999, na crise do Kosovo, e também para a Guiné Bissau: 

  • Não é preciso que a pessoa faça ela própria prova de correr perigo. Dada a situação, não é necessária essa demonstração;
  • Serão recebidos cidadãos ucranianos ou que tenham outras nacionalidades, desde que comprovem ser parentes, afins, cônjuges ou unidos de facto de cidadãos de nacionalidade ucraniana;
  • A integração pode ser feita por qualquer via: com passaportes de vários tipos (eletrónicos ou não) e também de pessoas sem documentos;
  • Será feito um controlo de segurança associado a questões de segurança interna e de risco para essa segurança. O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) fará as consultas às bases do sistema Schengen;
  • Só não terão direito à proteção pessoas que representem risco para a segurança interna, tenham praticado crimes contra humanidade ou que tenham praticado crimes graves do país de origem.

Como solicitar proteção temporária em Portugal?

Os pedidos abrangidos podem ser feitos presencialmente ou por via digital, dentro ou fora do território nacional. Deve ser feito um pedido por cada indivíduo potencialmente abrangido.
O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) está fazendo atendimento presencial nestes locais:

  • Gabinete Asilo e Refugiados (GAR), Rua Passos Manuel, n.º 40, 1169-089 Lisboa;
  • delegações regionais do SEF ou Posto de Fronteira, cujos contactos estão disponíveis no site da entidade;
  • balcões de atendimento do SEF exclusivos para cidadãos ucranianos. Os locais e horários estão disponíveis no portal ePortugal, mas podem sofrer alterações, que são divulgadas na página do SEF no Facebook;
  • no Aeroporto de Lisboa no balcão de atendimento exclusivamente dedicado aos cidadãos ucranianos que chegam a Portugal por via aérea. No período inicial, o balcão funcionará todos os dias da semana, entre as 9h00 e as 17 horas.

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras é a entidade responsável por instruir os pedidos através dos números: +351 217 115 000 ou +351 965 903 700. Há ainda o e-mail de contacto: gricrp.cc@sef.pt. Além disso, dois endereços foram criados para receber os pedidos de auxílio: sosucrania@acm.gov.pt ou refugiados@acm.gov.pt.

Legalização dos Refugiados

Mal chegam a Portugal e apresentem o pedido de proteção especial, os refugiados ucranianos recebem, de forma automática, o número de identificação fiscal (NIF), o número de identificação da Segurança Social (NISS) e o número de utente do Serviço Nacional de Saúde (SNS). É, ainda, feita a inscrição dos cidadãos em idade ativa no Instituto de Emprego e Formação Profissional – IEFP. O objetivo é garantir o direito aos mesmos benefícios oferecidos aos cidadãos portugueses em termos de emprego, acesso a cuidados de saúde, proteção social e ensino.
Estas e outras informações legais estão disponíveis na página que o Ministério da Justiça criou especificamente para os cidadãos ucranianos.

Oferta de Empregos

Os ucranianos que chegam ao país também contam com a disponibilidade de empregos numa plataforma própria. Mais de sete mil empresas já ofereceram vagas. As empresas podem manifestar a intenção de recrutar cidadãos ucranianos, através do preenchimento deste formulário. Estas oportunidades de emprego são divulgadas junto dos cidadãos ucranianos através da plataforma WeHelpUkraine.org.

Acolhimento das Famílias 

Foram criadas dezenas de plataformas para o acolhimento de refugiados, com muitos portugueses se voluntariando para ajudar. Através da plataforma WeHelpUkraine, amplamente divulgada no país, os portugueses podem se cadastrar para receber famílias ucranianas em suas casas. E não apenas isso. É possível ajudar com transporte, apoio psicológico, serviços médicos, aconselhamento jurídico, entre outros.
Proposta semelhante é a da Shelter4US. No website é possível preencher um formulário e oferecer ajuda com acolhimento, transporte ou baby sitting. É possível até acolher pets de famílias ucranianas. O AirBnb também criou uma página voltada para os membros da sua comunidade que queiram ajudar os ucranianos. Em todas estas plataformas há presença de voluntários portugueses.

Oferta de Cursos de Português 

Considerando que a integração social e profissional dos ucranianos pode depender da aprendizagem da língua portuguesa, o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) também está organizando cursos de Português Língua de Acolhimento.  

Alojamentos Públicos 

Foram criados alojamentos públicos temporários, espalhados por todo o país. A União das Misericórdias Portuguesas também tem apelado para que as Santas Casas ajudem a acolher refugiados. Já conta com o apoio de algumas das entidades do grupo. No Alentejo, a Misericórdia de Portalegre divulgou que está disponível para acolher entre 20 a 30 refugiados da Ucrânia, mais precisamente mulheres e crianças. A Santa Casa da Misericórdia de Beja também se disponibilizou para acolher e inserir no mercado de trabalho ou em escolas os refugiados da Ucrânia. 

Lisboa
A Câmara Municipal de Lisboa abriu o Refeitório Municipal de Monsanto para ajudar os ucranianos que estão na cidade. Também pretende criar um centro de acolhimento de emergência na Sede da Polícia Municipal de Lisboa.  O município criou uma linha telefônica para atender quem quer pedir ou oferecer ajuda.
Phone: 800 910 111
Email: sosucrania@cm-lisboa.pt.

Vila Nova de Gaia
Em Gaia o hostel do Parque Biológico foi disponibilizado para o mesmo efeito. O espaço tem capacidade para cerca de 50 pessoas. Presta apoio educativo, alimentar e psicossocial às famílias e crianças deslocadas.

Setúbal
Câmara Municipal de Setúbal informou que tem disponibilidade e capacidade logística para acolher refugiados em instalações municipais, logo que tal seja necessário.

Apoio Médico

A Ordem dos Médicos está a organizar uma plataforma de médicos ucranianos, russos e portugueses, disponíveis para apoiar os refugiados de guerra.
Existem em Portugal cerca de 330 médicos ucranianos e 150 russos. Todos estão disponíveis não só para traduzir relatórios médicos, como para tratarem os refugiados que venham para Portugal. 

Apoio Jurídico

A Ordem dos Advogados também divulgou recentemente uma lista com os nomes de  advogados voluntários para prestar assistência jurídica gratuita aos cidadãos ucranianos que se encontram em Portugal. Já são mais de 700 profissionais inscritos, provenientes de diversos Conselhos Regionais do país. E ainda há espaço para mais advogados que queiram ajudar. Caso pretenda voluntariar-se para prestar esse serviço “pro bono” e integrar a presente lista deve contactar a Ordem dos Advogados através do endereço cons.geral@cg.oa.pt. Também publicou em seu site uma síntese de informações relevantes para orientar cidadãos ucranianos e advogados que desejem prestar atendimento pro bono.

Ajuda da Sociedade Civil

De norte a sul do país, escolas estão a realizar campanhas de recolhas de bens e alimentos para ajudar os ucranianos, numa onda de solidariedade e amizade que junta alunos, professores e pais. Os pontos de coleta estão espalhados por todo lado. Igrejas e centros comunitários também estão a reunir mantimentos.
Os correios de Portugal – CTT também estão recolhendo doações. É preciso apenas ir ao site e preencher um documento que deverá ser impresso e colado nas caixas que vai doar, informando que tipo de artigos contém. A empresa informou que está a articular com vários parceiros logísticos para o envio dos donativos por via terrestre até à fronteira entre a Ucrânia e a Polónia. 

Criação de Plataforma Portugal-Ucrânia

Além do site WeHelpUkraine, o Governo português desenvolveu o Portugal for Ukraine, uma iniciativa que visa congregar todas as ações em curso em relação ao conflito na Ucrânia. Esse site disponibiliza um formulário onde as pessoas deslocadas podem pedir ajuda nas áreas de apoio humanitário, integração e acolhimento em Portugal. Os conteúdos encontram-se disponíveis em português e inglês.

A Associação dos Ucranianos em Portugal também está criando uma plataforma digital para coordenar a ajuda disponibilizada e satisfazer os pedidos de apoio no âmbito da invasão da Ucrânia. O objetivo é estruturar toda a ajuda o melhor possível.

Cessão Progressiva de Laços Comerciais com a Rússia

Diversas empresas de Portugal estão interrompendo as relações comerciais com a Rússia. É o caso da Galp Energia, que suspendeu a aquisição de produtos petrolíferos oriundos da Rússia. A empresa anunciou que fará aquisição de gasóleo de vácuo (VGO) junto a fornecedores alternativos. Também pretende operar a refinaria a um ritmo limitado, embora assegurando sempre o fornecimento de gasóleo ao mercado português.
A empresa de retalho de combustíveis Prio também anunciou que vai excluir dos seus fornecedores empresas russas e produtos com origem na Rússia ou diretamente relacionadas.