“Não tenho dúvida nenhuma de que Portugal está, neste momento, no radar e no centro das atenções das empresas americanas de alta tecnologia”, disse o governante em entrevista.

 

“Todas as empresas mostraram vontade de trabalhar e eventualmente investir em Portugal”, afirmou Bernardo Ivo Cruz. E acrescentou: “Algumas delas têm interesse em estabelecer presenças permanentes em Portugal para abarcar o mercado europeu a partir do nosso país”.

O secretário de Estado português teve reuniões com várias empresas, incluindo a Google, a Cloudflare, a Five9 e a Cruise, integradas num objetivo mais amplo de atração de investimento estrangeiro para Portugal.

 

“No setor tecnológico, as empresas da Califórnia têm interesse em trabalhar com empresas portuguesas e com Portugal”, afirmou, referindo que aquelas “conhecem perfeitamente a realidade portuguesa” e as vantagens e potencialidades da sua economia. 

 

A visita de Bernardo Ivo Cruz à região de Silicon Valley, incluindo a baía de São Francisco, Santa Clara e São José, abarca também reuniões com empreendedores portugueses que abriram empresas na Califórnia ou são quadros qualificados de organizações norte-americanas.

A intenção, explicou, é aprender com a experiência destes empreendedores, perceber de que forma o governo lhes pode ser útil, como podem ajudar a captar investimento estruturante para Portugal e também dar apoio à internacionalização das empresas portuguesas que queiram ir para a Califórnia.

 

“Há um grande entusiasmo e uma grande amizade entre a Califórnia e Portugal”, sublinhou o secretário de Estado. 

 

Um outro objetivo da visita prende-se com a internacionalização da investigação científica universitária, no rescaldo da participação portuguesa na feira de educação da NAFSA — Association of International Educators (Associação de Educadores Internacionais), que decorreu em Denver até 03 de junho.

O governo convidou as universidades portuguesas a juntarem-se à visita e facilitou reuniões em várias universidades norte-americanas, incluindo Stanford, Berkeley, a universidade católica de Santa Clara e as universidades estaduais da Califórnia em Fresno e Santa Bárbara.

 

“Em todas as reuniões o objetivo foi ver o que é que as universidades estão a fazer em termos de investigação, novos projetos, novas metodologias e, por outro lado, termos uma conversa aberta entre as universidades americanas e portuguesas sobre as áreas em que poderão trabalhar em conjunto”, resumiu Bernardo Ivo Cruz.

“As universidades portuguesas têm soluções que interessam às universidades americanas em termos de metodologias e conhecimentos e vice-versa”, referiu. 

 

Entre os tópicos em destaque estiveram as transições energética, ambiental e digital.

 

“É muito importante que tenhamos o conhecimento científico que as universidades trazem, mas também a aplicação prática desse conhecimento nas empresas e organizações, para que possamos adaptar-nos a estes desafios que são comuns e enormes da melhor forma possível”.

 

O governante participa hoje nas comemorações do Dia de Portugal com uma reunião do conselho consultivo do Consulado Geral de Portugal em São Francisco, uma cerimónia com o ‘mayor’ da cidade, onde será içada a bandeira portuguesa, e uma receção à comunidade e amigos de Portugal que terá lugar no consulado.

O secretário de Estado frisou que este “é o primeiro 10 de junho depois da pandemia” e sublinhou a importância de o passar presencialmente com a comunidade portuguesa da costa Oeste dos Estados Unidos, que é “bem integrada, muito empreendedora e muito grande”.

A visita termina em São José, com as comemorações comunitárias do Dia de Portugal a acontecerem no sábado, 11 de junho, com música, com uma parada portuguesa e a cerimónia de inauguração de uma nova exposição no Museu Histórico Português.

Fonte: Sic, com informações da Agência Lusa.